Antes de Rodolffo e João: relembre as vezes em que o racismo entrou em pauta no BBB21

Samantha Oliveira
Samantha Oliveira
Publicado em 06/04/2021 às 8:37
João Luiz no BBB21 (Foto: Reprodução/TV Globo)
João Luiz no BBB21 (Foto: Reprodução/TV Globo)
Leitura:

Todos os anos, o Big Brother Brasil escancara algumas discussões sociais para o público. Se no ano passado se falou muito sobre machismo e racismo, na edição de 2021 não poderia ser diferente.

LEIA TAMBÉM: Caio, Gilberto e Rodolffo estão no Paredão. Quem deve ser eliminado do BBB21?

As questões raciais do BBB21 vieram à tona logo nos primeiros dias, quando o programa quebrou seus próprios recordes. Dessa vez, o número de participantes negros era o maior de todas as edições, com 9 pessoas ao todo. Entre anônimos e famosos, essa proposta não só dava espaço para a representatividade como pluraridade dessas pessoas.

Contudo, o confinamento de diferentes "opiniões" acabou dando espaço também para esse tipo de discussão. O racismo envolvendo alguns participantes foi exposto pelas câmeras; com o caso mais recente envolvendo o professor João Luiz e o cantor Rodolffo.

Rodolffo x João

Tudo começou quando Rodolffo e Caio foram escolhidos pelos anjos da semana, Gil e Fiuk, para o monstro. Eles deveriam vestir trajes de homens das cavernas e, enquanto se arrumavam, o cantor fez um comentário preconceituoso. "Meu cabelo está quase igual ao do João", afirmou o sertanejo.

LEIA TAMBÉM: Modelo afirma que não é racista porque tem cachorra preta: “Nem pensei na cor”

Sem protestar, João Luiz ficou claramente desconfortável com a associação. Afinal, muitas são as diferenças entre um cabelo pré-histórico e o black power do brother. Este tipo de comentário, na verdade, apenas reforça estereótipos raciais e preconceituosos.

O assunto continuou a render quando, no Jogo da Discórdia da segunda (5), João citou o ocorrido para os demais brothers. "Tocou num ponto muito específico. Porque o jogo pode ser sim, de coisas que a gente vive aqui dentro, mas também tem que ser um jogo de respeito"; declarou o professor.

Rodolffo, por sua vez, rebateu o comentário. "Se todo mundo observou como era a peruca do monstro, eu acredito que era um pouco semelhante", comparou. João Luiz, novamente, explicou que esse tipo de comentário o magoa internamente. "Você não sabe o quanto que aquilo me machucou. Não adianta vir com desculpas! Estou cansado. Não estou em um desenho animado! Tem osso no meu cabelo?", questionou. No fim, o músico pediu desculpas.

Lumena

Conhecida como a "palestrinha" da edição, Lumena tocou em pontos importantes na sua trajetória no BBB21. Além de pontuar questões sobre machismo e transfobia, a psicóloga também se manifestou contra o racismo.

LEIA TAMBÉM: No BBB21, discurso do jogo de Lumena enfraquece pautas sociais

Durante o programa, a baiana chegou a apontar a "branquitude" de outros participantes. A fala causou polêmica, e Lumena chegou a ser apontada de cometer "racismo reverso".

Karol Conká

Quem também compartilhou suas vivências envolvendo questões raciais foi a cantora Karol Conká. Por ter sido considerada uma das vilões do BBB21, a sister foi alvo de xingamentos aqui fora. Até mesmo o filho da artista foi ameaçado e sofreu ataques racistas nas redes sociais.

Sua rejeição fora da casa quebrou recordes, é verdade, com o maior número de votos em um Paredão: 99,17%. Porém, a rejeição de Karol vai muito mais além das suas práticas dentro da casa.

Últimas notícias