Sem citar Palestina, Gal Gadot pede o fim do conflito Israelense

Augusto Tenório
Augusto Tenório
Publicado em 12/05/2021 às 17:31
Gal Gadot como Mulher Maravilha (Imagem: Reprodução)
Gal Gadot como Mulher Maravilha (Imagem: Reprodução)
Leitura:

Com a intensificação dos ataques entre Israel e a Faixa de Gaza, Gal Gadot falou pela primeira vez sobre o assunto. A atriz israelense, sem citar a Palestina, disse nesta quarta (11) que seu país merece viver em paz, assim como seus vizinhos. Enquanto isso, o primeiro-ministro de Israel, Binyamin Netanyahu (Likud), fala em aumentar as ações contra o território.

LEIA TAMBÉM
> Luciano Huck decide abandonar planos de eleição e renovar com a Globo, diz colunista
> Suplente de Flávio Bolsonaro fala sobre filho envolvido na pancadaria do ‘Pânico’

"Meu coração está partido. Meu país está em guerra. Eu me preocupo com minha família, meus amigos. Eu preocupo meu povo. Este é um ciclo vicioso que já dura muito tempo. Israel merece viver como uma nação livre e segura, nossos vizinhos merecem o mesmo", começou Gal Gadot, sem citar a Palestina, que luta para ser reconhecida como um estado.

Pelo menos 71 pessoas morreram com a retomada do conflito desde a última segunda-feira (10). Delas, 65 morreram em Gaza e 6 em Israel. O temor é que a escalada do conflito se transforme em um combate aberto. Por enquanto, Israel realiza ataques aéreos e o Hamas responde com disparos de mísseis destinados a Tel Aviv.

"Eu rezo pelas vítimas e suas famílias, eu rezo para que essa hostilidade inimaginável acabar, eu rezo para que nossos líderes para encontrar uma solução para que seja possível vivermos lado a lado em paz. Eu rezo por dias melhores", desabafou a atriz, famosa por interpretar a Mulher Maravilha.

Últimas notícias