Nação bregueira: Pabllo Vittar regrava clássico do brega recifense em 'Batidão Tropical'

Gabriela de Andrade
Gabriela de Andrade
Publicado em 25/06/2021 às 13:53
Pabllo Vittar em divulgação do disco 'Batidão Tropical' (Foto: Reprodução/Instagram)
Pabllo Vittar em divulgação do disco 'Batidão Tropical' (Foto: Reprodução/Instagram)
Leitura:

Lançado na noite desta quinta-feira (24), o quarto disco da Pabllo Vittar, intitulado Batidão Tropical, resgata músicas e ritmos que fizeram parte da infância e adolescência da cantora no Maranhão e Pará .

O álbum traz regravações e músicas inéditas. Das noves faixas de forró e tecnobrega, "Ama Sofre Chora", "Triste com T" e "A Lua" são inéditas.

As outras seis faixas são regravações de músicas que fizeram sucesso há mais de 10 anos no Norte e Nordeste, como: "Não É Papel de Homem", da banda Kassikó; "Ultra Som", da banda Ravelly; "Apaixonada", da banda Batidão; "Zap Zum" e"Bang Bang", da Companhia do Calypso e "Ânsia" da banda recifense Brega.com. A canção fez muito sucesso no Recife nos anos 2000, na voz de Eliza Mell. Pabllo Vittar se inspirou na versão paraense de "Ânsia", gravada pela Companhia do Calypso, pois residiu no Pará.

LEIA TAMBÉM

Pabllo Vittar se classifica como “rapariga” e revela: “Fico com homens e mulheres”

TecnoShow, Mastruz com Leite, Magníficos, Desejo de Menina e Aviões do Forró são outras bandas que Pabllo Vittar tem como referências até hoje. "Espero que meus fãs se sintam mais próximos de mim, porque é a minha vida ali em música", disse a cantora em entrevista para o G1.

Confira Ânsia na versão da banda recifense Brega.com:

Confira Ânsia na versão da Pabllo Vittar:

LEIA TAMBÉM

Nizo Neto, filho de Chico Anysio, diz que faz dublagens nu: “É muito libertador”

Últimas notícias