ENTENDA

Vídeo: Porta dos Fundos inverte agentes do discurso xenofóbico

Em novo vídeo, canal imagina diálogo surreal para abordar xenofobia

Augusto Tenório
Augusto Tenório
Publicado em 19/07/2021 às 17:48
Crítica
Reprodução/Canal do Porta dos Fundos no YouTube
Gregorio Duvivier e Ademara no video Sudestino do Porta dos Fundos - FOTO: Reprodução/Canal do Porta dos Fundos no YouTube
Leitura:

E se o norte e o sul econômico se invertessem e o Nordeste reproduzisse massivamente preconceitos contra o eixo Sul-Sudeste? Como questionar não ofende e imaginar ainda é permitido, o Porta dos Fundos lançou nesta segunda-feira (19) o vídeo Sudestino.

O vídeo tem roteiro simples, como é comum no canal, e aproveita bem seus quatro minutos de duração. Nele, imagina-se um diálogo surreal entre um rapaz chamado Bruno Buffoni (Gregório Duvivier) e uma colega de trabalho chamada Julia (Ademara). Ela o recebe reproduzindo uma série de preconceitos contra o sudestino, numa lógica ficcional, porém comum aos ouvidos nordestinos.

A lista é grande: desconhecimento acerca das divisões entre regiões, confusão entre estados, generalização dos costumes locais e até falas sobre as características físicas do rapaz. Ele responde com o sorriso amarelo, reação comum a quem, incomodado, não encontra espaço para reagir diante de uma estrutura hostil.

A inversão dos agentes desse discurso preconceituoso, imaginada no vídeo Sudestino, traz não somente riso ao público, mas também a reflexão sobre a xenofobia, elemento presente na memória coletiva dos nordestinos que se aventuram pelas terras abaixo da Bahia.

Não por acaso o conteúdo viralizou e, prontamente, diversos internautas compartilharam nas redes as suas próprias experiências envolvendo preconceito no eixo Sul-Sudeste. O conteúdo, porém, também despertou reações entre a parcela criticada no vídeo.


Comentários

Últimas notícias