CASO DE JUSTIÇA

Antonela Avellaneda diz que vai acionar medidas legais contra Lucas Selfie por xenofobia

Youtuber disse no programa "Ilha Record" que ela deveria "voltar para a Argentina"

Romero Rafael
Romero Rafael
Publicado em 09/08/2021 às 20:06 | Atualizado em 09/08/2021 às 20:15
@antonela_avellaneda/reprodução
A modelo Antonela Avellaneda, ex-'BBB' e participante do "Ilha Record" - FOTO: @antonela_avellaneda/reprodução
Leitura:

A modelo Antonela Avellaneda, ex-"BBB" e participante do reality show "Ilha Record", encaminhou à imprensa uma nota repudiando comentário de cunho xenofóbico feito pelo youtuber Lucas Selfie, outro participante do programa, em relação a ela. "É inconcebível nos dias de hoje uma pessoa ser julgada por sua origem", começa o comunicado. De origem argentina, mas radicada brasileira, Antonela diz que "medidas legais serão acionadas".

No "Ilha Record", Lucas Selfie disparou sobre Antonela Avellaneda: "Pra mim, uma pessoa que joga sujo e na primeira oportunidade que tiver eu vou falar é a Antonella. Tá fazendo hora extra aqui e no Brasil, pode voltar para a Argentina".

A palavra xenofobia tem origem grega e significa, basicamente, aversão ao estrangeiro. O artigo 140, parágrafo 3º, do Código Penal, estabelece uma pena de 1 a 3 anos de prisão (“reclusão”), além de multa, para as injúrias motivadas por elementos referentes a raça, cor, etnia, religião, origem, ou a condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência.

Leia a nota na íntegra:

"É inconcebível nos dias de hoje uma pessoa ser julgada por sua origem. Devemos nos esforçar para sermos conscientes e não nos deixar levar por preconceitos internalizados, mesmo diante de situações de embates pessoais.

Essa situação vem para ilustrar o quanto é necessário ampliar o nosso olhar diante da diversidade, nos desprendendo de estereótipos, até mesmo os criados por conta da rivalidade no futebol. O mundo mudou, as pessoas mudaram e essa atitude não será mais tolerada.

Medidas legais serão acionadas de acordo com o Código Penal Brasileiro (Art. 140 parágrafo 3o.), cuja pena pode chegar a três anos de reclusão.

Não sou a primeira participante de reality show a ser hostilizada pela sua origem. Isso infelizmente é um ato recorrente, mas que não deve mais acontecer."

Comentários

Últimas notícias