TRAGÉDIA

Entenda o que realmente aconteceu no show de Travis Scott em Houston

O rapper se apresentava na abertura do Astroworld Festival, em Houston, quando um tumulto na plateia causou 8 mortes e deixou 300 pessoas feridas

Lívia Maria
Lívia Maria
Publicado em 08/11/2021 às 16:51 | Atualizado em 08/11/2021 às 17:50
Reprodução
Rapper Travis Scott, 27 anos - FOTO: Reprodução
Leitura:

O que era para ser uma noite de diversão e animação terminou em tragédia. Na sexta-feira, 5 de novembro, o rapper estadunidense Travis Scott, se apresentava na abertura do evento Astroworld Festival na cidade de Houston, Texas, quando um tumulto na plateia resultou em pelo menos 8 mortes e centenas de pessoas feridas. As vítimas tinham entre 14 e 27 anos.

Em relatos à CNN, pessoas que estavam no show contaram que viveram “momentos que pareciam pesadelos”. A multidão de cerca de 50 mil presentes começou a se empurrar em direção ao palco durante a apresentação de Travis Scott, causando o pânico que irrompeu na plateia e imprensou pessoas entre a plateia e o palco.

O incidente aconteceu por volta das 21h15, no horário local, mas de acordo com os sobreviventes horas antes do show começar o local já estava extremamente lotado, dificultando até mesmo a respiração de quem estava por lá. Trinta minutos antes de Travis Scott iniciar sua apresentação um cronômetro foi acionado no palco com uma contagem regressiva e de acordo com Jeffrey Schmidt a cada minuto que se passava a situação piorava. Acompanhado de um amigo, Schmidt disse que ambos decidiram ali que o melhor era tentar sair da multidão, mas as pessoas já começavam a desmaiar e cair no chão. Os dois amigos foram separados quando os corpos começaram a cair por cima deles e as pernas de Schmidt ficaram presas sob os corpos que caíram.

“Naquele momento, minha mente entrou em modo de sobrevivência total. Tudo que eu podia ouvir eram pessoas gritando e chorando por ajuda”, disse Schmidt. “Perdi todas as esperanças e pensei que ia morrer ali mesmo porque não conseguia tirar as minhas pernas. Lutei pela minha vida.”

O posicionamento de Travis Scott

No sábado (7), o rapper divulgou um pronunciamento oficial em suas contas de redes sociais: "Eu estou completamente desolado pelo o que aconteceu na noite passada. Minhas orações vão para todas as famílias impactadas pelo que aconteceu no Astroworld Festival. A polícia de Houston tem meu total apoio para que continuem a investigar essas trágicas mortes. Eu estou empenhado em trabalhar com a comunidade de Houston para ajudar e apoiar todas as famílias em suas necessidades. Obrigado à polícia de Houston, ao Corpo de Bombeiros e ao NRG Park pela resposta imediata e pelo apoio. Amo todos vocês."

Vale lembrar que o cantor tem no histórico de uma declaração de culpado por desordem pública, de 2018, depois de incentivar as pessoas a subirem no palco de um show no Arkansas. De acordo com informações, o cantor pagou aproximadamente US$ 7 mil a duas pessoas que teriam se ferido no evento.

Nesta segunda-feira (8), fontes próximas a Scott revelaram ao TMZ que o artista irá ajudar as famílias das vítimas fatais com os custos funerários. Além disso, o rapper também deverá oferecer ajuda às pessoas que foram ao show em parceria com a companhia BetterHelp, uma rede de profissionais de saúde, para lidar com as consequências traumáticas que podem afetar a saúde mental dos indivíduos.

Investigação

A polícia está investigando a tragédia com as divisões de homicídios e narcóticos, visto que há relatos de que havia uma pessoa na multidão injetando drogas nos presentes e vários espectadores precisaram ser reanimados com um medicamento antidrogas overdose, incluindo um oficial de segurança.

"Temos um relato de um oficial de segurança (...) que estava tentando conter ou agarrar um cidadão e sentiu uma picada no pescoço", disse o chefe de polícia de Houston, Troy Finner.

Os oficiais irão analisar as imagens e relatos do acontecido para seguir as investigações.

Scott sabia dos perigos da multidão

De acordo com o New York Times, Scott foi avisado sobre a superlotação no show horas antes de subir no palco. O chefe de polícia de Houston, que conhece o rapper pessoalmente, teria ido até o camarim do artista na sexta-feira para alertar sobre os perigos da “energia da multidão”.

Houston, que é a cidade natal de Travis Scott, estava ansiosa para receber o artista após muitos meses sem shows. Os organizadores do show e oficiais da cidade sabiam que multidão no show do rapper seria algo difícil de controlar porque já havia acontecido antes, dois anos atrás, no mesmo evento.

O chefe do corpo de bombeiros Samuel Peña disse no domingo (7) que o artista e sua equipe eram quem deveria ter se adiantado e interrompido a apresentação. “A única pessoa que deveria realmente pedir e obter uma pausa quando algo dá errado é o artista. Eles tem aquele púlpito e têm uma responsabilidade”, comentou Peña ao NYT.

Comentários

Últimas notícias