STF

Acompanhe ao vivo: após quase cinco meses, André Mendonça é sabatinado na CCJ no Senado

Após ter sua indicação travada, segundo indicado de Jair Bolsonaro ao STF é sabatinado por senadores

Augusto Tenório
Augusto Tenório
Publicado em 01/12/2021 às 10:34
MARCELLO CASAL JRAGÊNCIA BRASIL
André Mendonça encarnou a figura de ministro "terrivelmente evangélico" levantada pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) e teve o apoio decisivo da bancada evangélica para a aprovação do seu nome no Senado - FOTO: MARCELLO CASAL JRAGÊNCIA BRASIL
Leitura:

Indicado por Jair Bolsonaro (PL) ao Supremo Tribunal Federal em julho, André Mendonça é sabatinado nesta quarta (1) pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado Federal. Ele é ex-ministro da Justiça e também e da Advocacia Geral da União.

Sua indicação ao STF causou polêmica desde o início, pois, como Jair Bolsonaro anunciou, sua segunda indicação à corte estaria reservada a um jurista "terrivelmente evangélico". Além disso, sua indicação agrada setores evangélicos, mas teve sua sabatina travada por desagradar outros setores, como o Centrão.

No seu discurso inicial, ele não escondeu sua religião, mas negou influência da sua religiosidade no trabalho ou nas decisões que, porventura, venha a tomar no Supremo Tribunal Federal. Após sua fala, ele será questionado pelos senadores.

"Na vida a Bíblia, na corte a Constituição. Na Suprema Corte defenderei a laicidade estatal e liberdade religiosa de todo cidadão, inclusive daqueles que não manifestam qualquer crença", prometeu o evangélico.

A relatoria da indicação, pela primeira vez na história, ficou com uma mulher: a senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA). O presidente da CCJ é Davi Alcolumbre (DEM-AM).

André Mendonça é formado pela Faculdade de Direito de Bauru, no interior de São Paulo. Ele fez doutorado em Direito na Universidade de Salamanca, na Espanha.

Comentários

Últimas notícias