Blog O Viral
O Viral

Se tem um repórter que não vive sem pauta, é o Viral. De notícias curiosas às novidades do seu seriado ou filme favorito, tá tudo aqui.

VER PERFIL
Gravidez

Bebê é retirada do útero para fazer cirurgia e recolocado de volta

Lynlee Boemer teve que ser operada antes do fim da gestação ao ser diagnosticada com tumor grave

Maria Luísa Fernandes
Maria Luísa Fernandes
Publicado em 22/10/2021 às 13:40 | Atualizado em 31/12/1969 às 21:00
Reprodrução/ Texas Children's Hospital
Bebê é retirado do útero para a realização de uma cirurgia - FOTO: Reprodrução/ Texas Children's Hospital
Leitura:

Lynlee Boemer foi diagnosticada com um teratoma sacrococcígeo crescendo em sua coluna, mais precisamente na região do cóccix. Ele é considerado benigno e um dos tipos de tumores mais comuns encontrados em bebês, mas ainda é bastante raro, ocorrendo em 1 a cada 35 mil gestações.

O tumor encontrado na menina se encontrava em um nível preocupante, elevando completamente o risco de uma falência cardíaca.

Segundo palavras do médico nigeriano Oluyinka Olutoye, que fez o procedimento, o caso de Lynlee era sério e o tumor já podia ser visto com apenas 16 semanas de gestação.

O método encontrado por Margaret Boemer, mãe do bebê, e seu marido, para a solução da condição da sua filha, era fazer uma cirurgia fetal. O processo seria de retirada da criança do útero para ter a maior parte do seu tumor removida, e então o bebê iria ser colocado de volta com o fim do procedimento.

A cirurgia foi realizada com sucesso no Hospital Infantil do Texas, localizado nos Estados Unidos. "Foi um privilégio e uma honra estar envolvido em algo que as pessoas nem sabem que é possível", disse Oluyinka. E segundo o médico, as mães que são as verdadeiras heroínas por colocarem seu corpo em risco em nome de suas crianças. 

Com exatamente 8 dias de vida, a criança chegou a passar por mais uma cirurgia para remover o que restava do tumor.

Hoje, Lynlee está com 1 ano e 8 meses. A mãe conta que a menina se encontra muito bem, mas que procedimentos ainda precisam ser feitos. Ela acrescenta que isso vai seguir pelo resto da vida da criança, porque o tumor pode voltar, então é necessário ficar sempre em observação.

Comentários

Últimas notícias