Blog do Torcedor - Tudo sobre o futebol em Pernambuco, do Nordeste, Brasil e do mundo
Torcedor

As notícias de Náutico, Santa Cruz e Sport, além do futebol nacional e internacional. Com análise, interatividade e opinião

EMOÇÃO

Craque brasileiro interrompe carreira para cuidar de filho com câncer; veja

Patrick Maia, de 32 anos, já atuou em time europeu.

Manuel Dias
Manuel Dias
Publicado em 13/10/2021 às 12:59
Notícia
Reprodução
O jogador tem passagem na Europa. - FOTO: Reprodução
Leitura:

O verdadeiro amor entre pai e filho é insuperável, e nem mesmo barreiras da vida podem abalar essa estrutura. Foi isso o que aconteceu com o atacante brasileiro Patrick Maia, de 32 anos, que interrompeu a sua carreira na Europa para cuidar totalmente do seu filho, que estava com câncer.

Luca, de apenas dois anos, foi diagnosticado em abril deste ano com um neuroblastoma, que atinge células do sistema nervoso simpático - que faz parte do sistema nervoso autônomo - que controla a respiração, a pressão arterial, batimento cardíaco e a digestão.

Quando foi descoberta a doença no menino, o tumor já tinha desenvolvido metástases nos ossos e no sangue. A boa notícia é que o jovem que estava internado em um hospital de Sutton, em Londres, teve alta após 45 dias internado para o tratamento do câncer. 

O pai, Patrick, estava jogando Marsa - time de Malta - país da Europa. Com o problema, ele decidiu para todas as suas atividades ligadas ao futebol para se dedicar somente ao seu filho. A mãe não saia do hospital para acompanhar os procedimento. Já o atleta, o único que falava inglês na família, chegava às 8h e saia às 22h para saber o que estava se passando. 

Thiago Silva homenageia o menino

 
 
 
View this post on Instagram
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Patrick Maia (@patrick9maia)

Em entrevista ao UOL, Patrick disse que o tratamento pode custar cerca de R$ 7 milhões. O tratamento está sendo financiado por uma parceria entre os governos de Malta e da Inglaterra.

''A gente não pode trabalhar, mas tem que comer, se locomover, se vestir, e está chegando o inverno aqui. É algo que a gente precisa desse suporte para poder seguir com o Luca sem ter um desespero grande além do que a gente já está vivendo'', disse.

Comentários

Últimas notícias