Dicas e informações de viagens, férias e turismo
Turismo de Valor

Descubra dicas de viagem e roteiros para as férias, além dos destinos e atrações que estão em alta no turismo.

MATA SUL

Escada: o município pernambucano que surpreende com engenhos e cachoeiras

A cidade da Mata Sul tem rotas de passeios com muita história e belezas naturais

Leonardo Vasconcelos
Leonardo Vasconcelos
Publicado em 20/03/2022 às 8:00
Fernanda Lima / Turismo Rural de Escada / Divulgação
O Canto Escuro é um dos engenhos preservados de Escada que vale a pena visitar - FOTO: Fernanda Lima / Turismo Rural de Escada / Divulgação
Leitura:

Imagine uma escada que te elevaria para um lugar surpreendente com muita história e belezas naturais. Para "subir" nela basta sair do Recife e seguir 60 km até o município de Escada, na Mata Sul de Pernambuco, e se deparar no local com cerca de 70 antigos engenhos de cana-de-açúcar (alguns tendo servido de casa ou recebido a visita de importantes personalidades pernambucanas e internacionais) e 14 lindas cachoeiras.

No século 19, privilegiada pelos grandes recursos hídricos e ótima qualidade da terra, Escada abrigou uma uma boa parte da oligarquia açucareira do Estado, sendo conhecida até hoje como "a terra dos barões". No apogeu deste período, o município chegou a contar com mais de 150 engenhos funcionando a pleno vapor. Atualmente, menos da metade ainda existe. A maioria em ruínas, mas felizmente alguns seguem preservados como testemunhas da história escadense.

Um dos principais da cidade é o Engenho Sapucaji, de 1862. O casarão, que ainda conserva os móveis do passado, conta com 12 janelas na fachada principal, um porão alto e escadaria em calcário português. Dizem que em 1887 ele recebeu o príncipe Henrique da Alemanha. Outro engenho preservado é o Canto Escuro, também do final do século 19. "A casa foi construída por dois ingleses que vieram instalar uma usina aqui. O fato curioso é que ela conta com uma mesa que serviu o banquete imperial para Dom Pedro II em 1859", explicou Álex Anthony, o idealizador e responsável pelo turismo rural de Escada.

Infelizmente um dos engenhos mais emblemáticos da cidade se encontra degradado e quase tomado pelo mato. O Jundiá Grande é famoso por ter sido o local de nascimento do pintor Cícero Dias (1907-2003) que viveu lá até os 14 anos. "Este casarão contava com 28 quartos e tinha o maior pátio interno de Pernambuco. Várias personalidades já se hospedaram aqui como o Lord Carnavon que descobriu o túmulo do antigo faraó do Egito Tutacamon", garantiu Álex.

Depois de mergulhar na história que tal fazer o mesmo nas várias cachoeiras espalhadas na zona rural do município? No calor dos passeios nada melhor do que um banho geladinho para relaxar e literalmente interagir com a exburante natureza do local. Essa é a proposta da agência de ecoturismo Vem de Andada que organiza viagens ao local (com a qual a Coluna Turismo de Valor embarcou e indica) para conhecer a história e curtir as cachoeiras do local.

Das várias cachoeiras de Escada, o roteiro do grupo incluiu as três principais: Pé de Serra, Bomba e Meirelles. Cada uma com tamanho e características diferentes, mas todas valem muito a visita. A primeira é a maior e conta até com balanço, a segunda é contemplativa e a terceira é a mais alta e oferece um escorrego natural para um imperdível "esqui-bunda". Difícil é só descer de Escada e voltar pra casa.

Comentários

Últimas notícias