covid-19

Infectologista citado em áudio sobre coronavírus nega informações viralizadas, diz SES-SP

No Twitter do Governo de São Paulo, o infectologista reforça que as fake news se espalham mais rápido do que o coronavírus

Larissa Lira
Larissa Lira
Publicado em 12/03/2020 às 16:01
Notícia
GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO
Uip, que já teve a covid-19 e se recuperou, está com estafa e muito estresse devido à acumulação de funções e trabalho durante a pandemia. - FOTO: GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO
Leitura:

Em áudio viralizado nas redes sociais, o médico Fábio Jatene, professor da Universidade de São Paulo (USP) e diretor do Instituto do Coração (Incor), alerta sobre o coronavírus. Em tom alarmista, as informações, dadas por ele, são associadas ao infectologista e coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus no Estado de São Paulo, David Uip. A Secretária de Estado da Saúde de São Paulo (SES-SP) afirma que David nega as informações ditas no áudio e só lhe atribui a autoria das falas ditas em coletivas e nas redes sociais do governo.

>> Secretário de Bolsonaro tem teste positivo para novo coronavírus

>> Suspensão de aulas, em Pernambuco, não está prevista, por enquanto, por causa do coronavírus

>> Bolsonaro faz teste para coronavírus; resultado sai na sexta-feira, 13

Nesta quinta-feira (12), uma coletiva de imprensa foi feita pelo governo de São Paulo para anunciar novas medidas de combate ao novo coronavírus. Nela, estava o governador, João Doria, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, o Secretário de Estado da Saúde, José Henrique Germann Ferreira, e o médico infectologista David Uip. Em São Paulo, são 46 casos confirmados da doença.

Na coletiva, David Uip falou sobre o plano de contingência. "Nós somos planejadores e trabalhamos com cenários. Com estes planejamentos substanciamos as decisões do secretário de saúde e do governador. Nosso objetivo é analisar cenários e eles vão desde 1% da infecção da população, até 5% ou 10%. Esses cenários demandam aquilo que é preciso: número de leitos, investimento e custeio", explica. Ele ainda completa que o estado de São Paulo está pronto para adicionar ao seu contexto mais mil leitos. 

No twitter

No Twitter do Governo de São Paulo, o infectologista ainda reforça que as fake news se espalham mais rápido do que o coronavírus. "Contra o novo coronavírus a gente não precisa ter medo, precisa apenas ter alguns cuidados", alerta.

 

Informações no áudio 

No áudio viralizado, Jatene relata um alerta do infectologista sobre o crescimento geral de infectados no Brasil a partir de agora. “O David disse que a partir de hoje os casos vão explodir no Brasil, porque já passou a ter a transmissão comunitária. Não é quem foi viajar, agora quem não foi viajar já está passando para o outro”, conta.

Ele ainda dá dados alarmantes sobre a doença. "David também disse que, nos próximos 4 meses, na Grande São Paulo, serão 45 mil casos. Vão precisar de UTI de 10 a 12 mil casos, e não tem 10 mil leitos de UTI disponíveis", completa.

O que é coronavírus?

 Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China.Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Confira o mapa de casos

Como prevenir o coronavírus?

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência.
  • Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (mascára cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).

Para a realização de procedimentos que gerem aerossolização de secreções respiratórias como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizado precaução por aerossóis, com uso de máscara N95.

Confira o passo a passo de como lavar as mãos de forma adequada

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias