pandemia

OMS pede que Brasil se comunique com transparência sobre os casos de coronavírus

Entidade disse acreditar que o Brasil irá continuar informando sobre os números diários de coronavírus

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 08/06/2020 às 15:34
Notícia
PIXABAY
OMS diz ter tido acesso a "dados extremamente detalhados" da Organização Pan-Americana (Opas) e do próprio País sobre os números brasileiros infectados - FOTO: PIXABAY
Leitura:

O diretor executivo da Organização Mundial de Saúde (OMS), Michael Ryan, afirmou que a entidade acredita que o Brasil continuará a informar seus números diários sobre a pandemia de coronavírus.  Ele também pediu para que "qualquer confusão que exista possa ser resolvida" em relação aos números e que os governos federal e estaduais possam continuar a se comunicar "de modo transparente com seus cidadãos a fim de acabar com essa pandemia o mais rápido possível".

"Nosso entendimento é que o governo do Brasil continuará a reportar os importantes números diários, de uma maneira desagregada", disse ele durante entrevista coletiva, acrescentando que a OMS tem tido acesso a "dados extremamente detalhados" da Organização Pan-Americana (Opas) e do próprio País sobre os números brasileiros. "Esperamos realmente que isso continue."

Ryan lembrou que o Brasil é um país "muito grande, tem uma população muito diversa, parte dela muito vulnerável, particularmente em áreas urbanas, populações indígenas e outras"

Além disso, afirmou que a OMS "continuará a apoiar o Brasil, e o povo do Brasil" na luta contra a doença. "É, porém, ao mesmo tempo muito importante que as mensagens sobre transparência e compartilhamento de informação sejam consistentes e que possamos confiar nas informações dos nossos parceiros do Brasil", enfatizou, lembrando que isso é importante também para que a população possa "gerenciar seus riscos".

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias