CHUVAS

Chuvas: Parte Central do Nordeste pode ficar abaixo da média de precipitações

A causa, segundo cientista, seria a alta das temperaturas no Oceano Atlântico Norte

JC
JC
Publicado em 01/01/2021 às 17:44
Notícia

EDMAR MELO/ACERVO JC IMAGEM
Especialista explicou quais fenômenos têm efeito nas chuvas do Nordeste - FOTO: EDMAR MELO/ACERVO JC IMAGEM
Leitura:

Em entrevista à Rádio Jornal nesta sexta-feira (1º), o professor e cientista Lucivânio Jatobá falou sobre a situação atmosférica do Brasil e as previsões de chuva para o Nordeste. Segundo ele, as temperaturas elevadas no Oceano Atlântico Norte podem fazer com que as precipitações fiquem abaixo da média em algumas regiões do Nordeste. 

>> Filhote de jaguatirica é resgatado de rodovia no Agreste de Pernambuco

>> Deslizamento de terra na Noruega deixa 21 desaparecidos e dez feridos

"A situação atmosférica no Brasil está interessante. Primeiro porque está fortemente influenciada por um fenômeno oceânico, que é o La Niña. Ele causa o resfriamento das águas equatoriais do Pacífico e influencia negativamente a Região Sul e parte da Região Sudeste. Um segundo aspecto, com repercussão no Nordeste são as temperaturas mais elevadas no Atlântico Norte. As águas superficiais estão mais aquecidas e isso não é bom para o Nordeste", diz o especialista.

Segundo ele, quanto mais frias as temperaturas, mais força ganham os chamados ventos alísios de Nordeste, que trazem chuvas mais fortes para a região, principalmente nos estados do Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco. "Quando o oceano está mais quente, os alísios ficam mais fracos e não conseguem empurrar o sistema", explica. 

De acordo com o especialista, essa situação significa que chuvas mais abundantes podem acontecer na parte Norte do Nordeste e que a parte Central talvez fique abaixo da média de precipitação. "ISso pode mudar se as águas oceânicas mudarem o quadro térmico", lembrou Jatobá. 

Comentários

Últimas notícias