Saúde

Governo Federal anuncia distribuição de mais 4,4 milhões de vacinas

Parte das vacinas será destinada para a primeira dose dos agentes das forças de segurança e salvamento, Forças Armadas e idosos

Agência Brasil
Agência Brasil
Publicado em 08/04/2021 às 15:03
Notícia
Tânia Rêgo/Agência Brasil
Desse total, 2 milhões serão de vacinas da CoronaVac produzidas pelo Instituto Butantan. - FOTO: Tânia Rêgo/Agência Brasil
Leitura:

O Ministério da Saúde informou que, a partir de hoje (8), entregará mais um lote de vacinas da covid-19 a todas unidades federativas para reforço da campanha de imunização. Acrescentou que 4,4 milhões de doses serão entregues "de forma proporcional e igualitária".Desse total, 2 milhões serão de vacinas da CoronaVac produzidas pelo Instituto Butantan, e 2,4 milhões serão da AstraZeneca/Oxford, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Todas essas doses foram produzidas no Brasil com matéria-prima importada. "As doses serão destinadas para vacinação de trabalhadores da saúde, idosos entre 65 e 74 anos, forças de segurança e salvamento e Forças Armadas que atuam na linha de frente do combate à pandemia", informou, por meio de nota, o Ministério da Saúde. 

Parte das vacinas será destinada para a primeira dose dos agentes das forças de segurança e salvamento, Forças Armadas e idosos entre 65 e 69 anos, de acordo com o governo federal. 

As demais  têm como destino a segunda dose a ser aplicada em trabalhadores da saúde e idosos entre 70 e 74 anos, de forma a garantir a aplicação conforme o tempo recomendado de cada imunizante (quatro semanas para a vacina do Butantan e 12 semanas para as doses da Fiocruz).

CoronaVac

O Instituto Butantan, por sua vez, confirmou que receberá, até o dia 20 de abril, nova remessa de 3 mil litros do insumo farmacêutico ativo (IFA) necessário para fabricar a Coronavac. O volume permite fabricar 5 milhões de doses da vacina contra a covid-19.

A informação é do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que fez o anúncio nesta quinta-feira (8) após reunião com o diretor-presidente do instituto, Dimas Covas.

 

Últimas notícias