Covid-19

Vacinar jovens facilita imunidade de rebanho e retorno escolar

Pessoas desta faixa etária não são fortes transmissores da covid-19, mas contribuem para a que a doença se espalhe

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 11/07/2021 às 21:22
Notícia
WELINGTON LIMA/JC IMAGEM
Vacinação contra a covid-19 - FOTO: WELINGTON LIMA/JC IMAGEM
Leitura:
A inclusão de adolescentes de 12 a 17 anos no calendário de vacinação de São Paulo, anunciada ontem pelo governo do Estado, é vista como uma ação positiva por especialistas de saúde.
 
"Vacinar os adolescentes é extremamente importante para chegar ao benefício coletivo da imunidade de rebanho", diz o epidemiologista e professor da Universidade Federal de Pelotas (Ufpel) Pedro Hallal. "Inclusive, para permitir a volta às aulas presenciais, que é uma grande prioridade do momento."
 
Segundo o epidemiologista, os adolescentes aparentam ser um público que não vai recusar a possibilidade de se vacinar e que, portanto, deve aderir à campanha. "São adolescentes que já estão acostumados a tomar vacina, já são de uma geração que tomou muita vacina na infância e que, em geral, acredita na ciência."

 
O diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), o epidemiologista Renato Kfouri, reforça que, com a chegada de mais doses da vacina anunciada pelo governo do Estado, é natural avançar na vacinação também de adolescentes.
 
"Até porque nós já temos produtos licenciados no País, com registro para vacinar a população a partir de 12 anos de idade, a vacina da Pfizer", diz. O imunizante é o único que, até o momento, tem aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para ser aplicado no Brasil em adolescentes com mais de 12 anos.
 
O diretor da Fiocruz/SP e professor de Medicina da Universidade de São Carlos (Ufscar) Rodrigo Stabeli relembra que, apesar de o Brasil vivenciar números mais baixos na pandemia em relação a semanas atrás, o patamar em que o País está ainda é superior ao pior dia de 2020. "A antecipação do calendário de São Paulo é importante porque estamos falando do Estado cuja densidade populacional é maior", diz. Por conta esses fatores, segundo ele, é fundamental que a vacinação avance rápido.
 
Kfouri complementa, ainda, que a faixa etária de 12 a 17 anos, que o governo de São Paulo pretende começar a vacinar em 23 de agosto, já passou a ser incluída nos programas de vacinação de países que estão mais avançados na cobertura vacinal. Desse modo, é pertinente avançar na vacinação dessa população também no Brasil. "Lembrando que, entre os adolescentes, também há uma população de risco para a doença", afirma o epidemiologista.
 
Além disso, apesar de as pessoas desta faixa etária não serem fortes transmissores da covid-19, elas contribuem para a que a doença se espalhe. "É necessário, à medida que os produtos em primeiro lugar se mostrem seguros para essa população, que a gente expanda o uso das vacinas anticovid para os adolescentes."

Últimas notícias