Imunização

São Paulo começa a aplicar vacina da Pfizer em atrasados com 2ª dose de AstraZeneca

De acordo com o governo estadual, a vacina da Pfizer estará disponível para quem deveria receber a segunda dose entre os dias 1º e 15 de setembro

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 13/09/2021 às 13:44
Notícia
Rovena Rosa/Agência Brasil
Na capital paulista, a vacina da AstraZeneca está em falta desde a última quinta-feira - FOTO: Rovena Rosa/Agência Brasil
Leitura:
A partir das 14 horas desta segunda-feira, 13, as pessoas que estão com a segunda dose da vacina da AstraZeneca em atraso poderão se vacinar com a Pfizer em São Paulo. A decisão foi tomada na semana passada pela Secretaria Estadual de Saúde porque o imunizante da AstraZeneca está em falta no Estado.
De acordo com o governo estadual, a vacina da Pfizer estará disponível para quem deveria receber a segunda dose entre os dias 1º e 15 de setembro.
Para dar conta da demanda, o Estado diz ter distribuído 400 mil doses desse imunizante aos municípios durante o fim de semana.
Na capital paulista, a vacina da AstraZeneca está em falta desde a última quinta-feira.
Além de São Paulo, outros Estados enfrentam desabastecimento do imunizante. A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que produz a vacina no Brasil, atrasou a entrega de lotes neste mês, mas o envio de doses deve ser normalizado a partir desta semana.
Para justificar a falta de doses, o governo de São Paulo afirma que deixou de receber quase um milhão de vacinas do Ministério da Saúde em setembro. O órgão federal, por sua vez, diz que antecipou o envio de 315,5 mil doses a São Paulo para serem usadas como segunda dose. No entanto, segundo o ministério, o Estado teria usado como primeira dose as vacinas que deveriam ter sido guardadas para a segunda dose.

Terceira dose

Idosos com 85 anos ou mais já podem receber a terceira dose da vacina contra a covid-19 nesta segunda-feira. A dose extra é necessária para aumentar a proteção conferida pelo imunizante.
Em São Paulo, a terceira dose pode ser feita com Coronavac, Pfizer, AstraZeneca ou Janssen.
 

Últimas notícias