Saúde

Ministro da Saúde alerta que país não atingiu pico da variante ômicron

No Brasil há cerca de dois meses, a nova cepa registrou, no fim de janeiro, 300 mil casos diários de infecções do coronavírus

Agência Brasil
Cadastrado por
Agência Brasil
Publicado em 06/02/2022 às 13:12 | Atualizado em 14/02/2022 às 15:58
FÁBIO RODRIGUES POZZEBOM/ABR
PRONUNCIAMENTO Queiroga também fez um balanço das ações do governo federal na pandemia e prestou solidariedade às famílias das vítimas - FOTO: FÁBIO RODRIGUES POZZEBOM/ABR
Leitura:

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que o Brasil ainda não chegou ao pico da nova onda da covid-19 causada pela variante ômicron. No Brasil há cerca de dois meses, a nova cepa registrou, no fim de janeiro, 300 mil casos diários de infecções do coronavírus. "Analisando a última semana epidemiológica do país, tivemos aumento de casos causado pela covid-19 e ainda não chegamos no pico da onda causada pela ômicron. O enfrentamento contra a doença continua", avaliou Queiroga nesse sábado (5), pelo Twitter.

>> Vacinação lenta das crianças e aumento de óbitos por covid-19 fazem governo de Pernambuco ampliar leitos pediátricos

>> Covid-19: Brasil registra 197 mil casos e 1.308 mortes em 24 horas

>> Recife amplia testagem de covid-19 e abre cinco novos centros a partir de segunda

Ainda segundo o ministro da Saúde, a pasta monitora a pressão sobre o sistema de saúde e a ocupação de leitos de unidade de terapia intensiva (UTI). "Há espaço para abertura de novos leitos e estamos apoiando os Estados sempre que necessário. A atenção primária também tem sido reforçada", ressaltou.

Na mesma postagem, Marcelo Queiroga enfatizou a importância da vacinação para que os casos tenham sintomas mais leves. "Se você ainda não tomou a segunda dose e a dose de reforço, não esqueça de completar seu esquema vacinal", alertou.

Últimas notícias