Investigação

Perícia aponta que indigenista Bruno Pereira foi baleado três vezes

No caso do jornalista Dom Phillips, ele foi atingido por apenas um disparo, no tórax

Renata Monteiro
Cadastrado por
Renata Monteiro
Publicado em 18/06/2022 às 13:41
REPRODUÇÃO
DUPLO HOMICÍDIO Bruno Pereira e o repórter Dom Phillips foram executados na região do Vale do Javari - FOTO: REPRODUÇÃO
Leitura:
Do Estadão Conteúdo
 
A Polícia Federal (PF) informou neste sábado, 18, que o outro corpo encontrado na região do Vale do Javari, no Amazonas, é do indigenista Bruno Araújo. A identidade do jornalista britânico Dom Phillips já havia sido confirmada na sexta-feira (17).
 
Comparações entre exames odontológicos entregues pela família do indigenista e a arcada dentária recolhida pelos policiais federais confirmaram a identidade de Bruno. O mesmo procedimento foi usado na identificação do repórter. No caso de Dom, houve ainda a análise de impressões digitais e caraterísticas físicas, método conhecido como "antropologia forense".
 
"Não existem indicativos da presença de outros indivíduos em meio ao material que passa por exames", diz o comunicado da Polícia Federal.
 
 

Causa da morte

 
Os peritos do Instituto Nacional de Criminalística de Brasília também apontaram que o repórter e o indigenista foram mortos a tiros: Bruno foi baleado três vezes, na cabeça e no tórax, e Dom, uma vez, no tórax.
 
Em nota, a PF disse que a morte do repórter foi causada por "traumatismo toracoabdominal por disparo de arma de fogo com munição típica de caça, com múltiplos balins, ocasionando lesões principalmente sediadas na região abdominal e torácica (1 tiro)".
 
Já Bruno Pereira, ainda segundo a Polícia Federal, sofreu "traumatismo toracoabdominal e craniano por disparos de arma de fogo com munição típica de caça, com múltiplos balins, que ocasionaram lesões sediadas no tórax/abdômen (2 tiros) e face/crânio (1 tiro)".

Últimas notícias