ASSASSINATO

Amigos e parentes de fisioterapeuta morta divulgam carta e cobram justiça

No texto, eles traçam a jovem como uma mulher destemida, independente e livre, e cobram justiça

Da Editoria de Cidades
Da Editoria de Cidades
Publicado em 06/04/2017 às 17:08
Maria Luísa Ferro/JC
No texto, eles traçam a jovem como uma mulher “destemida, independente e livre”, e cobram justiça - FOTO: Maria Luísa Ferro/JC
Leitura:

Amigos e parentes divulgaram carta à sociedade durante o enterro da fisioterapeuta Tássia Mirella Sena de Araújo, 28 anos, na manhã desta quinta-feira (6), no Cemitério de Santo Amaro, área central do Recife. No texto, traçam a jovem como uma mulher “destemida, independente e livre”, e cobram justiça.

Veja a íntegra do texto:

“Em meio a este turbilhão de tristeza e dor, quando queríamos silenciar e acalentar nossos corações - tanto da família quanto dos amigos - sentimos, por outro lado, a necessidade de trazer um pouco do que era Mirella.

Mirella, ao contrário dos julgamentos machistas que buscam justificar esse ato brutal e violento, causado pelo suspeito Edvan Luiz, homem que não tinha nenhum envolvimento com com ela (sabendo que mesmo que houvesse não há justificativa cabível para tal barbárie) era uma mulher jovem e destemida a viver independente e livre.

Sabemos - lamentavelmente - que esse não é um caso isolado, pois todos os dias mulheres são vítimas de feminicídio. Mulheres da periferia, mulheres negras, mulheres mães, mulheres lésbicas, mulheres trans, mulheres...

Mirella conquistou sua formação de fisioterapeuta, trabalhava nume empresa multinacional da área médica e como toda jovem buscava a experiência de mais autonomia morando sozinha. Mirella lutou na vida e pela sua vida, literalmente, até o fim.
Não existe crime passional, o que existe aqui é um FEMINICÍDIO! Mirella não tinha nenhuma relação com o suspeito que, mesmo como disse o delegado em suas entrevistas às TVs, o suspeito afirmou ter visto Mirella apenas uma vez.

Os indícios existem e estão sendo apurados. E hoje haverá uma coletiva para tentar esclarecer tudo. É o que esperamos.
Mas o que não podemos esquecer é que queremos justiça. O assassino de Mirella não pode ficar impune. Precisamos evitar de forma veemente que mais uma Mirella, Maria ou Ana seja morta dessa forma tão brutal. Por isso, convocamos toda a sociedade para comparecer hoje às 13h em frente ao Fórum Joana Bezerra para a mobilização da audiência de custódia e impedir que o suspeito responda em liberdade.”

#SOMOSTODOSMIRELLA

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias