Investigação

Policial é investigado por incitar tortura contra flanelinhas no Recife Antigo

Segundo uma denúncia, o PM estimulava a violência motivado por uma suspeita de que os flanelinhas estariam furando pneus de carros com parafusos

JC Online
JC Online
Publicado em 20/12/2018 às 9:02
Foto: Reprodução/Google Street View
Segundo uma denúncia, o PM estimulava a violência motivado por uma suspeita de que os flanelinhas estariam furando pneus de carros com parafusos - FOTO: Foto: Reprodução/Google Street View
Leitura:

A Polícia Militar informou nesta quinta-feira (20) que está apurando uma denúncia contra um policial da Companhia Independente de Apoio ao Turista (CIATur). Ele é suspeito de incitar tortura contra flanelinhas no Recife Antigo.

Segundo uma denúncia anônima, feita para a reportagem do Jornal do Commercio, o policial estimulava a violência por um grupo em um aplicativo de conversas motivado por uma suspeita de que os flanelinhas estariam colocando parafusos para furar pneus dos carros estacionados no local.

Nos prints das conversas enviados para a reportagem, o policial diz que teve o pneu do seu carro furado pelos flanelinhas há três semanas e questiona se existe alguma ação da própria PM ou de policiais contra os trabalhadores. Ao não receber uma resposta, ele fala para os outros policiais que os flanelinhas devem ser 'acochados' e levados para a Delegacia de Plantão.

O PM ainda incita os colegas de trabalho a mentirem sobre a futura detenção dos flanelinhas. "Diga ao delegado que eles estavam exigindo dinheiro", escreveu no grupo. "Toquem o terror na cabeça deles", finalizou.

Em nota, a PM informou que tomou conhecimento da denúncia e que a unidade onde o policial trabalha foi notificada sobre o caso.

Denúncias

A corporação ainda afirmou que preza pela boa conduta dos policiais, salientando que qualquer cidadão que se sentir prejudicado por ação ou omissão de um PM, no exercício de sua função, deve formalizar a queixa na Corregedoria da Secretaria de Defesa Social (SDS) ou no Batalhão ao qual pertence o policial.

Confira a nota da integra: 

A Polícia Militar informa que tomou conhecimento da denúncia através desse periódico e que a unidade do PM citado foi cientificada e irá apurar o fato. A corporação preza pela boa conduta de seus integrantes, salientando que qualquer cidadão que se sentir prejudicado por ação ou omissão de um policial militar, no exercício da sua função, poderá formalizar a queixa na Corregedoria da SDS ou no Batalhão ao qual pertence o policial.

Últimas notícias