CRIME

Mulher que levou bebê do Imip recebe alvará de soltura

No período de concessão da liberdade provisória, ela cumprirá medidas cautelares como recolhimento domiciliar depois das 22h

Amanda Azevedo
Amanda Azevedo
Publicado em 22/04/2019 às 21:14
Notícia
Foto: Reprodução/TV Jornal
No período de concessão da liberdade provisória, ela cumprirá medidas cautelares como recolhimento domiciliar depois das 22h - FOTO: Foto: Reprodução/TV Jornal
Leitura:

Presa pela subtração de um bebê no Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip), no sábado (20), Eliane Antônia de Oliveira recebeu alvará de soltura em audiência de custódia na tarde desta segunda-feira (22), em audiência de custódia. 

Eliane havia sido autuada pelo crime de “subtrair criança ou adolescente ao poder de quem o tem sob sua guarda em virtude da lei ou ordem judicial, com o fim de colocação em lar substituto”,  previsto no artigo 237 do Estatuto da Criança e do Adolescente.

Medidas cautelares

No período de concessão da liberdade provisória, sem fiança, a mulher cumprirá as seguintes medidas cautelares: comparecimento bimestral na justiça para justificar suas atividades; recolhimento domiciliar depois das 22h; proibição de ausentar-se da cidade onde reside sem prévia autorização judicial.

O caso

O bebê de 19 dias de vida, que havia sido levado no último sábado (20) no Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip), no bairro dos Coelhos, área central do Recife, foi encontrado pela Polícia Civil na noite desse domingo (21) no bairro de Afogados, Zona Oeste da cidade, após uma denúncia anônima.

“Nunca perdi a esperança. Não achava que ele fosse aparecer tão rápido, mas Deus é muito bom”, disse a dona de casa Luana Maria da Silva, 30 anos, após reencontrar seu filho.

De acordo com o delegado Cláudio Neto, Eliane procurou a unidade de saúde alegando que não estava se sentindo bem e, assim, teve acesso ao local onde estava o bebê. “Ela se fez de paciente, como se tivesse passando mal, para receber a pulseira (de identificação) e ter acesso ao estabelecimento”, afirmou.

Ainda segundo Cláudio Neto, a polícia chegou à suspeita após receber uma denúncia de uma pessoa que viu imagens de Eliane em um site. Ao identificar o endereço da mulher, policiais cercaram a casa e pediram para entrar na residência. No local estava, além da mulher e da criança, o esposo da suspeita, que, seguindo orientação policial, saiu do imóvel. Em coletiva na manhã desta segunda-feira (22), Cláudio Neto afirmou que Eliane “muito abalada e chorando, confessou (o crime). Ela alegou que havia perdido um filho recentemente e teria efetuado a subtração do bebê para suprir a carência.”

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias