OSCAR

Confira o emocionado discurso de Joaquin Phoenix, o Coringa, no Oscar 2020

O americano recebeu o prêmio de 'Melhor Ator' nesse domingo (9)

Katarina Moraes
Katarina Moraes
Publicado em 10/02/2020 às 7:54
Notícia
Foto: RACHEL MURRAY / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP
FOTO: Foto: RACHEL MURRAY / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP
Leitura:

Joaquin Phoenix confirmou o favoritismo e levou para casa a estatueta de Melhor Ator do Oscar 2020 por 'Coringa' na cerimônia desse domingo (9). Ao receber o prêmio, o americano fez um discurso emocionado, em que levantou questões políticas e exaltou a possibilidade que ele e os colegas têm de "usar a voz em favor daqueles que não têm voz".

» Equipe de 'Democracia em Vertigem' protesta no tapete vermelho do Oscar 2020

» Cerimônia do Oscar 2020 foi marcada por apresentações musicais

» Veja os vencedores do Oscar 2020

» Oscar 2020: saiba quais filmes foram inspirados em livros

Foto: Matt Petit / AMPAS / AFP
Parasita venceu "Melhor Filme" e outras três categorias do Oscar 2020 - Foto: Matt Petit / AMPAS / AFP
Foto: ROBYN BECK / AFP
Renée Zellweger venceu o Oscar na categoria "Melhor Atriz" - Foto: ROBYN BECK / AFP
Foto: KEVIN WINTER / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP
Joaquin Phoenix venceu a categoria de "Melhor Ator" no Oscar 2020 por "Coringa" - Foto: KEVIN WINTER / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP
Foto: RACHEL MURRAY / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP
Laura Dern venceu o Oscar 2020 na categoria "Melhor Atriz Coadjuvante" - Foto: RACHEL MURRAY / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP
Foto: KEVIN WINTER / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP
Brad Pitt venceu o Oscar 2020 na categoria "Melhor Ator Coadjuvante" - Foto: KEVIN WINTER / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP
Foto: Rachel Luna / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP
Matthew A. Cherry e Karen Rupert Toliver venceram na categoria "Curta Metragem (Animação)" - Foto: Rachel Luna / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP
Foto: Jean-Baptiste Lacroix / AFP
Mark Nielsen, Josh Cooley e Jonas Rivera venceram na categoria "Melhor Animação" - Foto: Jean-Baptiste Lacroix / AFP
Foto: RACHEL LUNA / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP
"(I'm Gonna) Love Me Again", do filme Rocketman, venceu na categoria "Canção Original" - Foto: RACHEL LUNA / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP
Foto: RACHEL MURRAY / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP
Julia Reichert venceu o Oscar 2020 na categoria "Documentário" - Foto: RACHEL MURRAY / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP
Foto: Rachel Luna / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP
1917 venceu três categorias, incluindo Mixagem de Som. Na foto: Mark Taylor e Stuart Wilson - Foto: Rachel Luna / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP
Foto: RACHEL MURRAY / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP
O documentário brasileiro "Democracia em Vertigem" concorreu ao Oscar 2020 - Foto: RACHEL MURRAY / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP

“Não me sinto acima de nenhum dos outros indicados ou de qualquer outra pessoa nesta sala. Todos nós compartilhamos o mesmo amor pelo cinema. Esse meio me deu tantas coisas extraordinárias que nem sei o que eu seria sem ele”, afirmou. “Mas acho que o maior presente que me deu, e a muitos nessa sala, é a oportunidade de usar nossa voz pelos que não têm", iniciou.

Phoenix continuou: “seja falando sobre desigualdade entre gêneros, racismo, direitos LGBTQ+ ou indígenas, direitos dos animais, estamos falando sobre lutar contra a ideia de que uma nação, uma raça, um gênero ou uma espécie tem o direito de dominar, controlar, usar e explorar outros sem impunidade. Acredito que nos desconectamos demais do mundo natural, e nos sentimos culpados por ter uma visão egocêntrica, a crença de que estamos no centro do universo.”

“Entramos no mundo natural, roubamos seus recursos. Nos sentimos no direito de inseminar artificialmente uma vaca e então roubar seu bebê quando ele nasce, mesmo que seus gritos de angústia sejam perceptíveis. E então bebemos o leite que é destinado ao bezerro e colocamos em nosso café e cereal”, argumentou. “Quando usamos amor e compaixão como nossos princípios, podemos criar, desenvolver e implementar sistemas de mudança que são benéficos para todos os seres e ao meio ambiente.”

Phoenix explicou como o cinema mudou sua vida para a melhor. “Fui um canalha minha vida toda. Fui egoísta, cruel às vezes, alguém difícil de trabalhar. Estou grato porque muitos aqui nessa sala me deram uma segunda chance. Acredito que estamos no nosso ápice quando apoiamos uns aos outros. Não quando nos cancelamos por erros passados, mas sim quando nos ajudamos a crescer. Educamos uns aos outros, e nos guiamos no caminho pela redenção.”

Por fim, o ator lembrou de seu falecido irmão River Phoenix, que sofreu uma overdose aos 23 anos de idade, em 1993. “Quando ele tinha 17 anos de idade, meu irmão escreveu uma música em que dizia ‘vá ao resgate com amor, e a paz o seguirá’.”

Joaquin Phoenix

Essa é a primeira vitória de Joaquin Phoenix no Oscar. O ator havia sido indicado três vezes antes de Coringa: uma em 2001 por Gladiador (2000), outra em 2006 por Johnny e June (2005), e mais uma em 2013 por O Mestre (2012).

Phoenix concorria ao prêmio de melhor ator com Adam Driver (História de um Casamento), Jonathan Pryce (Dois Papas), Antonio Banderas (Dor e Glória) e Leonardo DiCaprio (Era uma Vez em… Hollywood).

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias