Inflação

Plano de orçamento da Grécia prevê contração da economia até pelo menos 2017

Em um documento de 49 páginas entregue ao Parlamento, o orçamento estima que a recessão da Grécia este ano resultará em um recuo de 2,3% em sua economia

Do Estadão Conteúdo
Do Estadão Conteúdo
Publicado em 05/10/2015 às 20:02
Foto: LOUISA GOULIAMAKI / AFP
Em um documento de 49 páginas entregue ao Parlamento, o orçamento estima que a recessão da Grécia este ano resultará em um recuo de 2,3% em sua economia - FOTO: Foto: LOUISA GOULIAMAKI / AFP
Leitura:

A economia da Grécia deve continuar recuando pelo menos até 2017, de acordo com um rascunho do orçamento que antecipa a implementação da nova rodada de medidas de austeridade requeridas pelos credores internacionais. 

Em um documento de 49 páginas entregue ao Parlamento nesta segunda-feira (5), o orçamento estima que a recessão da Grécia este ano resultará em um recuo de 2,3% em sua economia, e mais 1,3% em 2016. Os números estão em linha com as previsões incluídas no terceiro acordo de resgate do país, que foi fechado em julho com as nações da zona do euro e com o Fundo Monetário Internacional (FMI). 

Os aumentos de impostos e cortes de gastos incluídos no acordo significam que a Grécia quer atingir um déficit primário orçamentário de 0,25% de produção econômica para este ano, antes de alcançar um superávit de 0,5% em 2016. 

"No período que se aproxima, a economia da Grécia entrará em um procedimento de reformas significantes com uma série de alterações estruturais e fiscais", informou uma nota introdutória no orçamento. "O período de ajuste não será fácil, mas criará as condições para uma economia grega moderna, livre de problemas do passado." 

A execução de mais ações de aperto em um público já cansado de medidas de austeridade deverá ser uma tarefa desafiadora para a coalizão do governo de Alexis Tsipras, primeiro-ministro da Grécia. A taxa de desemprego na Grécia deve avançar no ano que vem para 25,8%, de 25,4%, de acordo com o orçamento. 

As autoridades gregas esperam flexibilizar alguns dos termos incluídos no acordo de resgate do país em negociações com os credores, que devem reunir-se nas próximas semanas. Fonte: Dow Jones Newswires.


Últimas notícias