CRISE INSTITUCIONAL

Entenda o que é o circuit breaker da Bovespa

Dispositivo que previne grandes perdas foi disparado diante das consequências da crise institucional vivida pelo governo Temer

Luiza Freitas
Luiza Freitas
Publicado em 18/05/2017 às 12:54
Foto: Agência Brasil
Dispositivo que previne grandes perdas foi disparado diante das consequências da crise institucional vivida pelo governo Temer - FOTO: Foto: Agência Brasil
Leitura:

Após a notícia divulgada na quarta-feira (17) de que o presidente Michel Temer (PMDB) teria sido gravado pelo dono da JBS autorizando a compra do silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha, a Bovespa abriu com grande oscilação, ativando o mecanismo chamado circuit breaker. O dispositivo entra em funcionamento quando as operações caem 10% em relação ao dia anterior suspendendo as negociações. A última vez que a bolsa se utilizou desse recurso foi em 2008, diante da crise do setor imobiliário americano.

A Bovespa fechou suas negociações na quarta-feira com queda de 2,08% (a 67.254 pontos), antes da divulgação da notícia. Por volta das 10h30 desta quinta-feira o circuito foi acionado.

PROCEDIMENTO

As negociações são suspensas com a intenção de evitar grandes perdas. Compras e vendas ficam paradas durante 30 minutos para que o mercado se acalme. Se, depois da reabertura, a queda chegas a 15% - também em relação ao dia anterior -, as negociações são suspensas por uma hora. Se ainda houver uma nova queda que chegue a 20%, a Bovespa pode suspender seus negócios em todos os mercados e decidir o prazo em que isso acontecer.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias