Taxa básica de juros

Projeção do Focus para Selic no fim de 2018 segue em 6,75% ao ano

O Banco Central explicou que pode diminuir a Selic em 0,25 ponto percentual

Fiamma Lira
Fiamma Lira
Publicado em 15/01/2018 às 10:47
Foto: Agência Brasil
O Banco Central explicou que pode diminuir a Selic em 0,25 ponto percentual - FOTO: Foto: Agência Brasil
Leitura:

Em meio às indicações do Banco Central (BC) de que pode continuar o processo de corte de juros em fevereiro, os economistas do mercado financeiro mantiveram suas projeções para a Selic para o fim de 2018. O Relatório de Mercado Focus trouxe nesta segunda-feira (15), que a mediana das previsões para a Selic este ano seguiu em 6,75% ao ano. Há um mês, estava em 7% - atual patamar da Selic.

Em dezembro, o Banco Central reforçou, por meio do Relatório Trimestral de Inflação (RTI), a indicação de que pode reduzir a Selic em mais 0,25 ponto porcentual em fevereiro, de 7% para 6,75% ao ano. Ao mesmo tempo, a instituição afirmou que a decisão dependerá da evolução da atividade, dos riscos para o cenário - como o ligado ao andamento das reformas -, das avaliações sobre o estágio do ciclo monetário e das projeções para os índices de preços. Estas mensagens foram reafirmadas na semana passada pelo próprio presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, em entrevista.

2019

No caso de 2019, a projeção para a Selic passou de 8,13% ao ano (porcentual que indicava divisão entre 8% e 8,25%) para 8% ao ano.

No Focus, a Selic média de 2018 permaneceu em 6,75% ao ano, como já estava quatro semanas atrás. Já a taxa básica média de 2019 foi de 7,90% para 7,88%.

Para o grupo dos analistas consultados que mais acertam as projeções (Top 5) de médio prazo, a taxa básica terminará 2018 em 6,50% ao ano, o mesmo porcentual projetado uma semana e um mês antes. No caso de 2019, a projeção do Top 5 para a Selic continuou em 8,00%, ante 7,25% de quatro semanas antes.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias