COMBUSTÍVEL

Cinco postos são notificados por suspeita de aumentar preços após boato

Se for constatado que os postos praticaram preços abusivos, os donos serão multados. Valor vai de R$ 1.050 a R$ 9,5 milhões

JC Online
JC Online
Publicado em 02/09/2018 às 23:30
Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem
Se for constatado que os postos praticaram preços abusivos, os donos serão multados. Valor vai de R$ 1.050 a R$ 9,5 milhões - FOTO: Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem
Leitura:

Cinco postos de combustíveis no Recife foram notificados a apresentar, em até 24 horas, notas fiscais dos dias 30 e 31 de agosto para comprovar que não aumentaram os preços após boato sobre uma nova greve dos caminhoneiros. A notificação é resultado de fiscalização realizada neste domingo (2) pela Secretaria de Justiça e Direitos Humanos e pelo Procon-PE, que deve prosseguir nesta segunda-feira (3).

Se for constatado que os postos praticaram preços abusivos no sábado (1º), dia em que os motoristas correram para os postos diante da ameaça de desabastecimento, os donos serão multados. O valor da multa vai de R$ de R$ 1.050 a R$ 9,5 milhões.

A fiscalização visitou 11 postos, localizados nos bairros de Afogados, Parnamirim, Torre, Graças, Aflitos, Espinheiro, Rosarinho, Casa Amarela e Imbiribeira. Destes, alguns já se encontravam fechados.

"Vamos fazer uma analise de quanto estava sendo cobrado antes e após o boato da greve. A partir daí será visto se o aumento está dentro do esperado ou se houve uma abusividade”, explicou a secretária executiva de justiça e direito do consumidor, Mariana Pontual.

Na última sexta-feira (31), os postos do Grande Recife reajustaram os preços após a Petrobras anunciar alta de 13% para o diesel e 1,54% para a gasolina.

CORRIDA

No sábado, nota publicada nas redes sociais da rede de postos Petromega sobre uma nova greve dos caminhoneiros levou a uma corrida aos postos por medo de desabastecimento

Até a noite deste domingo, a movimentação era intensa nos postos de gasolina da capital pernambucana. O JC encontrou três postos na Avenida Caxangá, na Rua Benfica (Madalena) e Avenida Norte com filas de carros que aguardavam para abastecer. O valor da gasolina comum mais alto encontrado foi de R$ 4,49. 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias