automóveis antigos

Nostalgia do corso invade as ruas do Recife

Mais de 100 veículos enfeitados reviveram a tradição do Carnaval do século passado

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 07/02/2014 às 23:54
Foto: Michele Souza/JC Imagem
Mais de 100 veículos enfeitados reviveram a tradição do Carnaval do século passado - FOTO: Foto: Michele Souza/JC Imagem
Leitura:

A 16ª edição Corso de Automóveis Antigos levou mais de 100 carros às ruas do Centro do Recife na noite deste sexta-feira, relembrando os desfiles antigos que simulavam as batalhas de confetes e serpentinas no século 20. Colecionadores e integrantes de clubes de automóveis, alguns fantasiados, exibiam seus carros ornamentados com fitas e máscaras.

“Quando eu era jovem, participei do corso de Goiana com um caminhão que era do meu pai. Aqui no Recife, participo há cinco anos e trago a família”, contou o militar Mozart da Rocha Lima, proprietário de três carros antigos, dentre os quais a F-75 de 1976 que desfilou ontem. A fila de relíquias saiu por volta das 22h do Clube Internacional do Recife, na Benfica, Zona Oeste, anunciando também o 66º Bal Masqué, baile tradicional que acontecerá no próximo sábado, dia 15.

O automóvel do funcionário público Hélvio Mafra Filho era um dos mais observados na concentração do desfile, ainda no Clube Internacional. Trata-se de uma Rural 1958 verde. “Adoro Carnaval e essa é uma oportunidade de mostrar meu carro. Faço parte ainda do Clube do Fusca de Pernambuco.”

O desfile seguiu pelo Derby, passou pela Avenida Conde da Boa Vista, Rua da Aurora, Ponte Princesa Isabel, Praça da Independência e Ponte Buarque de Macedo, com encerramento na Rua da Moeda, no Bairro do Recife. O som da Frevioca animou o cortejo.

O fundador do novo corso, o advogado José Lima, lembra dos desfiles de foliões motorizados quando era jovem. “A princípio, a ideia é o resgate dos antigos carnavais. Antigamente, as pessoas acompanhavam, jogando confetes e serpentinas, depois foi ficando mais bagunçado. Nós fazemos um evento mais família e aproveitamos para chamar as pessoas para o Bal Masqué”, explicou. Lima puxou a carreata das relíquias a bordo do seu Ford 29.

No evento, os admiradores de automóveis antigos puderam apreciar ainda modelos militares, como jipes de guerra. De acordo com o Conselho Nacional de Trânsito, é considerado antigo todo veículo com mais de 30 anos de fabricação.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias