Eleições Americanas

Alvo de protestos, Trump comanda o Saturday Night Live

Presidenciável já apresentou o programa em 2004

Júlio Cirne
Júlio Cirne
Publicado em 08/11/2015 às 15:38
AFP
Presidenciável já apresentou o programa em 2004 - FOTO: AFP
Leitura:

Apesar de protestos de membros da comunidade latina, o magnata e pré-candidato republicano à Presidência americana Donald Trump apresentou o humorístico "Saturday Night Live" neste sábado. Com piadas a uma eventual estadia na Casa Branca, o magnata acabou bastante aplaudido.

No monólogo de abertura, de quase cinco minutos, Trump apareceu ao lado de dois atores que já o parodiaram no programa, Darrell Hammond e Leslie Jones. Com piadas sobre sua fama de polêmico, recheada de declarações contra imigrantes e países, ele garantiu que não é nada do que os outros pensam.

"As pessoas pensam que eu sou controverso, mas a verdade é que eu sou um cara legal", riu o empresário de 69 anos, que já apresentou o programa em 2004. "O programa é um desastre para mim, mas voltei porque sei aguentar uma piada".

Um quadro mostra Trump no que seria seu gabinete da Presidência. Ali, recebe a informação de que o Estado Islâmico foi derrotado. Um falso assessor diz a ele que “o povo nos Estados Unidos de Trump estão cansados de vencer”.

Trump admitiu ter vetado alguns esquetes, que sentiu que poderiam ser muito forçados. Em um momento, ele é chamado “de racista”, mas logo a câmera flagra o responsável: é o humorista Larry David, que brincou com o fato de que o grupo DeportRacism prometeu dar US$ 5 mil para que interrompesse o show.

"Como empresário, eu entendo, Larry", brincou de volta.

A democrata Hillary Clinton, que lidera a disputa de seu partido, apareceu no “SNL” em outubro, interpretando uma atendente de bar.

Com a NBC, rede responsável pela atração, Trump apresentava “O aprendiz” e gerenciava o Miss Universo. No entanto, após sua declaração, foi boicotado, teve contrato rompido e ameaçou processar os ex-colegas.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias