Surto

Sobe para seis o número de mortes pelo coronavírus nos EUA

Subiu para seis o número de mortos pelo novo coronavírus nos Estados Unidos

JC Online
JC Online
Publicado em 02/03/2020 às 17:27
Foto: AFP
Subiu para seis o número de mortos pelo novo coronavírus nos Estados Unidos - FOTO: Foto: AFP
Leitura:

Atualizada às 19h53

O número de mortos pelo novo coronavírus nos Estados Unidos subiu para seis nesta segunda-feira (2), todos no estado de Washington (noroeste), segundo um porta-voz do departamento de saúde estadual.

Cinco dos falecidos estavam no condado de King, o mais populoso e onde fica Seattle, e um no condado de Snohomish, próximo da fronteira com o Canadá, de acordo com a fonte.

"Acreditamos que o número de casos continuará a aumentar nos próximos dias e semanas; estamos enfrentando essa situação com extrema seriedade", disse o Dr. Jeff Duchin, chefe de saúde pública em Seattle e King County.

"O risco de todos nós sermos infectados continuará a aumentar. E, embora a maioria dos casos seja moderada ou leve, a infecção pode causar doenças graves e existe a possibilidade de muitas pessoas ficarem doentes ao mesmo tempo", alertou.

O responsável pelo condado de King, Dow Constatine, anunciou que há uma negociação em curso para a compra de um motel que será usado para isolar os infectados.
"Temos que avançar para uma nova etapa da luta para conter, mitigar e gerenciar esse surto", afirmou.

Pelo menos 18 casos do novo coronavírus foram registrados no estado de Washington, segundo as autoridades.
Os Estados Unidos têm mais de 90 diagnósticos positivos da doença, principalmente na costa oeste.

No sábado (29), após confirmar a primeira vítima fatal, anunciada pelas autoridades estaduais de Washington (noroeste), o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que o novo coronavírus ainda apresentava uma ameaça baixa para os americanos e que não haveria motivo para entrar em pânico.

A primeira vítima era uma mulher de 50 anos. Ela morava no condado de King, o estado e a jurisdição mais populosos aos quais a cidade de Seattle pertence, onde vivem mais de 700.000 pessoas.

ENTREVISTA

"Outros casos nos Estados Unidos são prováveis ", disse Trump em entrevista coletiva na Casa Branca no sábado, observando, no entanto, que "indivíduos saudáveis devem poder se recuperar completamente". "Nosso país está preparado para qualquer circunstância", disse o presidente, pedindo que "mídia, políticos e todos os envolvidos a não fazer nada que incite o pânico".

O presidente e outras autoridades também anunciaram o endurecimento das restrições já existentes para as pessoas que viajam do Irã, onde ocorreram mais de 40 mortes relacionadas ao novo coronavírus, e também pediram aos americanos que não viajem para regiões da Itália e da Coreia do Sul afetadas pela epidemia.

O vice-presidente Mike Pence, nomeado por Trump à frente dos esforços para combater o vírus, disse que uma restrição, que já estava em vigor sobre os cidadãos iranianos, agora inclui qualquer pessoa que permaneça no Irã nos últimos 14 dias.

Trump também disse que estava "avaliando" a aplicação de restrições de viagem à fronteira com o México pelo coronavírus. "Esperamos que não tenhamos que fazer isso", afirmou. O presidente dos EUA também informou que se encontrará com líderes do setor farmacêutico na Casa Branca na segunda-feira para discutir tratamentos e esforços para desenvolver uma vacina contra o novo vírus.

Segundo o Centro para o Controle e a Prevenção de Enfermidades, mais de 60 pessoas estão infectadas com o vírus nos Estados Unidos, na maioria passageiros do cruzeiro Diamond Princess.

Confira os casos de coronavírus no mundo:

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias