Ibope

Ibope: Senadores da Frente Popular ampliam vantagem sobre adversários

Já os dois candidatos da chapa de Armando Monteiro (PTB), caíram dois pontos percentuais em relação à pesquisa anterior divulgada no dia 20 de agosto

Ângela Belfort e Maria Eduarda Bravo
Ângela Belfort e Maria Eduarda Bravo
Publicado em 06/09/2018 às 7:00
Foto: JC Imagem/Agência Senado
Já os dois candidatos da chapa de Armando Monteiro (PTB), caíram dois pontos percentuais em relação à pesquisa anterior divulgada no dia 20 de agosto - FOTO: Foto: JC Imagem/Agência Senado
Leitura:

Os candidatos ao Senado da chapa liderada pelo governador Paulo Câmara (PSB) também aumentaram a sua participação na intenção de voto, segundo a pesquisa Ibope/TV Globo, divulgada ontem. Na estimulada (a que aparece os nomes dos candidatos), Jarbas Vasconcelos (MDB) saiu de 26% para 33% das intenções de voto, e Humberto Costa (PT) de 25% para 30%.

“A nossa impressão é de que estamos caminhando para eleger a chapa completa. O cenário é favorável. Do ponto de vista eleitoral, o PT está forte em Pernambuco. A imagem do ex-presidente Lula influencia o eleitor”, disse o senador Humberto Costa.
Contactada pela reportagem, a assessoria do deputado federal Jarbas Vasconcelos informou que o candidato não se pronuncia sobre pesquisa, mas na rede social Instagram o emedebista comemorou o resultado: “É Pernambuco ainda mais na frente!”.

Os dois candidatos da Frente Popular exibiram nas suas redes sociais e até no guia eleitoral informações vinculando os seus principais concorrentes, os candidatos ao Senado da coligação Pernambuco Vai Mudar: Bruno Araújo (PSDB) e Mendonça Filho (DEM) ao governo do presidente Michel Temer. “Na caminhada inteira, vamos continuar vinculando a imagem deles (de Mendonça e de Bruno) com o Temer e dar ênfase a imagem de Lula e de Haddad, porque acreditamos que isso vai aumentar mais o percentual da intenção de voto”, afirmou Humberto.

Os dois candidatos da chapa Pernambuco Vai Mudar, encabeçada por Armando Monteiro (PTB), caíram dois pontos percentuais em relação à pesquisa anterior divulgada no dia 20 de agosto. Mendonça Filho (DEM) saiu de 25% para 23%, mas permanece em terceiro na pesquisa. Bruno Araújo (PSDB) foi de 10% para 8% e está em quinto lugar. Procurados pela reportagem do, Mendonça afirmou, por meio da sua assessoria, que não comentaria o resultado. Bruno, também via assessoria, declarou que a pesquisa “é o retrato de um momento em que a campanha de rádio e TV está apenas começando” e que continua seguindo confiante na campanha.

O deputado federal Sílvio Costa (Avante) também cresceu na pesquisa, saindo de 10% para 12%. “Estou animadíssimo. Só tenho a agradecer as pessoas que estão apostando na nossa narrativa. Não sou petista, mas sou Lulista. Os senadores da incoerência (se referindo a Humberto e Jarbas) são alimentados pelo recall, porque já foram governadores, ministro, entre outros cargos que ocuparam”, resumiu. Ele é candidato pela coligação O Pernambuco que Você Quer, encabeçada pelo advogado Maurício Rands (PROS), candidato a governador.

Os outros sete candidatos registraram quedas nesta segunda pesquisa. No ranking, após os políticos já citados, surge o nome do Pastor Jairinho (Rede), que de 6% passou para 5%; Adriana Rocha (Rede), tinha 4% e mudou para 2%; além de Eugênia Lima (PSOL) e Helio Cabral (PSTU), que estavam com 2% e passaram a ter 1%. O percentual dos postulantes ao Senado Albanise Pires (PSOL), Alex Lima (PCO) e Lídia Brunes (PROS) não sofreu alteração. Eles permanecem com 1% de intenções de votos. 

CENÁRIO

Segundo a cientista política Priscila Lapa a impopularidade de Michel Temer (MDB) explica a falta de vontade dos políticos em somar a imagem do presidente nos seus palanques, principalmente no cenário pernambucano. No Estado, de acordo com a pesquisa Ibope, o presidente da República tem rejeição de 93% dos pernambucanos. “Em contraponto desse alinhamento com o ex-presidente Lula, o governador Paulo Câmara construiu esse discurso do palanque de Temer e isso pegou, apresentando um resultado positivo até para os senadores. No palanque de Armando, se vê claramente dois ex-ministros do governo Temer e isso não tem como negar diante o eleitorado. Essa pesquisa mostra que a estratégia é colar em Lula, se descolar de Temer e colocar Temer no colo do outro palanque”, argumentou.

“Essa pesquisa já reflete um pouco do guia eleitoral com o eleitor começando a ver quem são os candidatos e começando a apostar nos que aparecem mais na TV. Também mostra o efeito do governismo, porque o candidato a governador que tenta a reeleição tem a máquina do Estado a seu favor com o apoio de muitas prefeituras”, explicou o professor do departamento de Ciência Política da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) Ernani Carvalho.

Para ele, o uso da imagem e do nome do ex-presidente Lula trouxeram reflexos no resultado dessa pesquisa já que as entrevistas ocorreram entre os últimos dias 02 e 04 com a influência do guia eleitoral que começou a ser exibido em 31 de agosto. “Ainda está muito cedo. É um cenário no qual Paulo Câmara está se descolando do segundo candidato. Só com mais informações e pesquisas podemos afirmar que há uma tendência”, concluiu Ernani.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias