Eleições 2016

Sete eleitos no Recife intimados a prestar esclarecimentos ao TRE

O problema é com a prestação de contas de campanha, da falta de extratos a comprovações de renda de doador

JC Online
JC Online
Publicado em 18/11/2016 às 9:30
Foto: Divulgação/Câmara do Recife
O problema é com a prestação de contas de campanha, da falta de extratos a comprovações de renda de doador - FOTO: Foto: Divulgação/Câmara do Recife
Leitura:

Sete  eleitos no Recife para mandato na Câmara Municipal de 2017 a 2020 foram intimados pela Justiça Eleitoral nos últimos quatro dias para esclarecer incoerências e supostas irregularidades na prestação de contas da campanha. Foram convocados  os já vereadores Irmã Aimée (PSB) – a segunda mais votada, que recebeu 82,9 mil em doações e contratou despesas de R$ 39,3 mil – e Aerto Luna (PRP), que declarou ter recebido R$ 73,3 mil e gasto R$ 44,4 mil com a campanha atual.

No caso de Aerto Luna, parecer técnico da 6ª Zona Eleitoral aponta divergências entre as prestações de contas parcial e final, referente a despesas.  Irmã Aimée é questionada sobre a ausência de recibos de fornecedores e intimada a apresentar provas de que recursos e bens repassados por doadores resultam da  atividade econômica desenvolvida por eles e do seu patrimônio. Técnicos do cartório explicam que as informações prestadas podem ser retificadas durante essa fase.

Também estão sendo intimados a prestar esclarecimentos Rodrigo Coutinho (SD), filho do deputado federal Augusto Coutinho (SD), Hélio Guabiraba (PRTB), Benjamim da Saúde (PEN), Wanderson Florêncio (PSC) e Renato Antunes (PSC). 

Segundo informações contidas no Mural Eletrônico do TRE, Coutinho prestou contas parcial fora do prazo, não apresentou notas fiscais referentes a gastos de campanhas junto a empresas. Renato Antunes deve comprovar a origem dos recursos próprios empregados na campanha. 

Em relação a Benjamim, a questão a esclarecer é o cumprimento da legislação  que limita as doações de pessoa física a  10% dos rendimentos brutos  no ano anterior à eleição. Wanderson tem que justificar a entrega de relatórios financeiros fora do prazo e comprovar patrimônio de doadores. Hélio Guabiraba  foi chamado para  explicar a ausência de prestação parcial. O JC tentou, mas não conseguiu falar com os eleitos chamados pela Justiça Eleitoral.

Há duas semanas encerrou-se o prazo para declaração  final sobre gastos e receitas  do primeiro turno. As notificações tendem a crescer nos próximos dias, segundo o  Cartório da 6ª Zona Eleitoral. Na capital, 39 candidatos foram eleitos vereadores.Neste sábado (19/11) encerra-se a prestação de quem disputou segundo turno.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias