congresso nacional

Sobre recesso, Maia tergiversa e diz que decisão cabe ao plenário

Presidente da Câmara afirma que não cabe ao plenário decisão sobre suspender o recesso parlamentar no momento em que é analisada denúncia contra Temer

Da Editoria de Política
Da Editoria de Política
Publicado em 30/06/2017 às 17:40
Foto: MEC/Divulgação
Presidente da Câmara afirma que não cabe ao plenário decisão sobre suspender o recesso parlamentar no momento em que é analisada denúncia contra Temer - FOTO: Foto: MEC/Divulgação
Leitura:

Com a denúncia contra o presidente da República, Michel Temer (PMDB), na Câmara dos Deputados, o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM), afirmou nesta sexta-feira (30), em passagem pelo Recife, que cabe ao plenário a decisão sobre a suspensão do recesso parlamentar, entre 18 e 31 de julho, para analisar o processo.

"Essa é uma decisão que vem do plenário. Não é mais com o presidente", disse.

Quanto ao julgamento do processo, Maia assinalou a preferência pela garantia aos prazos regimentais. “Avalio que, enquanto tiver uma denúncia tramitando, o melhor caminho era que a gente pudesse começar garantindo os prazos regimentais e depois terminar a votação da primeira, da segunda...”, afirmou, em entrevista no Porto Digital.

ENVIO DO STF

A presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministra Cármen Lúcia, enviou nessa quinta (29) a denúncia contra o presidente Michel Temer para a Câmara dos Deputados.

Delatado por executivos da JBS, Temer foi denunciado por corrupção passiva.

A partir do recebimento pela Câmara, cabe ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), encaminhar a acusação para a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça da Casa), que dará um parecer sobre o caso.

A palavra final, porém, cabe ao plenário da Câmara. É preciso o apoio de pelo menos 342 dos 513 deputados para que o Supremo Tribunal Federal seja autorizado a analisar a denúncia. Se o aval for dado e a corte a aceitá-la, é aberto o processo, com o consequente afastamento de Temer do cargo.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias