1 ano sem Uchôa

Missa marca um ano da morte de Guilherme Uchôa

Familiares, amigos e companheiros da política compareceram à missa de um ano da morte de Guilherme Uchôa realizada na noite desta quarta (3) em Igarassu

Editoria de Política
Editoria de Política
Publicado em 03/07/2019 às 23:36
Foto: Luisa Farias/Especial para o JC Imagem
Familiares, amigos e companheiros da política compareceram à missa de um ano da morte de Guilherme Uchôa realizada na noite desta quarta (3) em Igarassu - FOTO: Foto: Luisa Farias/Especial para o JC Imagem
Leitura:

Um ano após a morte do ex-presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), Guilherme Uchôa, seus familiares, amigos e companheiros da política comparecerem a missa realizada na noite desta quarta-feira (3) no Convento de Santo Antônio, em Igarassu, na Região Metropolitana do Recife (RMR). Uchôa faleceu aos 71 anos em 3 de julho de 2018 após o agravamento de um edema pulmonar ajudo, seguido de uma parada cardíaca. 

O interior da igreja, no município que era o reduto eleitoral de Uchôa e onde seu corpo foi sepultado, já estava lotado mesmo antes do início da cerimônia, às 20h. Alguns acompanhavam pelas laterais e no andar superior do templo. "Depois de um ano, 365 dias da sua partida, podemos um pouco mais, de forma madura dizer: Senhor, nós te agradecemos por aquele que foi esposo, pai, avô, amigo, professor, amigo, advogado, juiz, político e tantas outras coisas. É por tantas coisas que nós nos reunimos hoje e enchemos essa igreja, certamente vindo de outras cidades para prestar esse momento de graças a Deus pela vida que ele viveu", ressaltou o padre Josivan Bezerra, que presidiu a missa. 

Muito emocionado, Guilherme Uchôa Jr agradeceu pela presença e pelo o apoio recebido ao longo do último ano. "Tem aqui amigos, tios, irmãos do meu pai, amigos que ele construiu na vida dentro do Tribunal (de Justiça), da Alepe, do Tribunal de Contas, da feira de Igarassu, Itamaracá, funcionários da Assembleia. Em todos os lugares que ele passou ele construiu amigos. Eu quero agradecer a todos vocês de coração que hoje são o que me faz estar aqui em pé, de ver aqui hoje a igreja cheia, com pessoas que eu sempre vi junto dele e hoje eu estou aqui para celebrar um ano (de morte) dele", disse Uchôa.

Uchôa Jr, que tinha planos de disputar uma vaga de deputado federal, acabou seguindo os passos do pai e se elegendo deputado estadual. "O caminho que ele trilhava e que eu trilhei, eu vou procurar fazer o possível. Quero que Deus dê força a todas as pessoas que amavam tanto ele para poder superar essa dor, porque a dor é muito grande, mas é uma dor de saudade, porque eu tenho certeza que de onde ele está hoje ele está muito feliz de ver aqui hoje eu podendo representar a ele e o local que ele estava, o local que ele sempre quis estar", finalizou, muito aplaudido.  

Estiveram presentes na missa alguns deputados estaduais, colegas na Casa de Joaquim Nabuco, como o atual presidente, Eriberto Medeiros (PP), Francismar Pontes (PSB), Antônio Fernando (PSC), João Paulo (PCdoB), Romero Albuquerque (PP). Havia também deputados da legislatura anterior, como Zé Maurício (PP) e Sérgio Leite (PSC), que assumiu o mandato após a morte de Guilherme Uchôa. O presidente da Câmara Municipal do Recife, vereador Eduardo Marques (PSB) também compareceu. 

História

Nascido em Timbaúba, na Zona da Mata do Estado, Guilherme Uchôa era bacharel em direito pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e formado em história pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Caruaru. Foi eleito deputado estadual pela primeira vez em 1994 e exerceu dois mandatos, além de ter ocupado o cargo de presidente da Alepe por seis biênios. 

Últimas notícias