Agreste

O homem que virou salada

Gustavo Pessoa transformou a sua dieta em negócio. O restaurante Kefi Saladas nasceu da necessidade de, primeiro, comer com os olhos

Flávia de Gusmão
Flávia de Gusmão
Publicado em 21/09/2012 às 11:10
Leitura:

GARANHUNS – Ao bater a marca dos 100 quilos, com dificuldade para amarrar o sapato, caminhar, respirar, viver, Gustavo Pessoas procurou um médico. “Ele perguntou se eu iria me internar naquele momento ou queria ir em casa avisar”, lembra.

Além das queixas relatadas na consulta, exames de sangue com taxas nas alturas motivaram a ameaça. Um filho recém-nascido lhe fez pensar se era melhor insistir na alimentação calórica ou tomar jeito na vida. Venceu a segunda opção: “Não queria que meu filho crescesse sem pai”, pontua.

Guga, como lhe chamam os amigos, chegou a cantar parabéns para um botijão de gás que passou um ano e oito meses intacto devido à total falta de aptidão do seu proprietário para as coisas de cozinha. Águas passadas. O que era para ser apenas uma dieta (que já lhe fez perder 14 quilos ao longo de um ano) virou negócio.

No mesmo período, ele inaugurou o Kefi Saladas, um delivery que funciona de segunda a sexta nesta cidade agrestina, apenas para almoço, e tem na comida magra e saudável o seu foco.

O nome escolhido para batizar o empreendimento é recheado de significados. Kefi, em grego, traduz o espírito da alegria, paixão e entusiasmo, que, segundo ele, foi encontrado na gastronomia. “Comecei a fazer saladas porque precisava emagrecer, mas, por não ser um grande fã, tinha a necessidade de, primeiro, comer com os olhos.

Assim, passei a fotografar cada salada e a postar no Facebook. Com os comentários dos amigos, percebi que Garanhuns precisava desse serviço”, explica.

A primeira prova foi ultrapassar a barreira cultural, pois saladas não figuram como primeira opção ou prato principal na mesa do Agreste e Sertão. “No primeiro dia de funcionamento, tive apenas um pedido, e ele apareceu já no fim do expediente, lá pelas 13h”, lembra.

Hoje em movimento ascendente, o Kefi, que ainda se vale da cozinha da residência do seu proprietário, já se prepara para ocupar uma nova casa, que passará a atender o público como restaurante, e não apenas em sistema de entrega.

O Facebook continua sendo o principal meio de comunicação com os consumidores. Nele, Gustavo posta não apenas as criações do seu menu – que hoje conta com 16 saladas fixas e sugestões a cada mês, além de opções vegetarianas como estrogonofe de soja e omelete de vegetais ao forno – como não se furta a mostrar as aventuras do pequeno Daniel, seu filho e responsável pela guinada pessoal e profissional de sua vida, no mundo verde e saudável dos hortifrúti.

Últimas notícias