Carreiras e Mercado de Trabalho

O mercado de trabalho está em constante movimento. Conheça as principais tendências para 2022

A pandemia foi a grande mola propulsora das mudanças no mercado de trabalho nos últimos dois anos

Felippe Pessoa
Felippe Pessoa
Publicado em 20/12/2021 às 7:21
MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL
Algumas empresas torceram o pescoço para o modelo, outras sequer voltaram e estão até hoje em home office - FOTO: MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL
Leitura:

Semana passada, aqui na coluna, falei sobre as profissões que serão mais demandadas em 2022. Essas previsões nem sempre se concretizam porque o mercado é dinâmico, cheio de surpresas que podem mudar o rumo de tudo. Mas, é importante entender para onde o mercado está caminhando; por isso, na última coluna do ano, aponto as principais tendências do mercado, um exercício de futurologia que consolida o comportamento do mercado nos últimos tempos.

A pandemia foi a grande mola propulsora das mudanças no mercado de trabalho nos últimos dois anos. Uma série de ações que eram muito faladas e pouco praticadas precisaram sair do papel antes do previsto e, de maneira abrupta para muitas empresas e profissionais, que não estavam preparadas para mudanças; essa turma precisou “engolir a seco” e seguir, sem muita opção. Aqui, estou falando especialmente de flexibilidade. As tendências do mercado são muitas, mas a maioria delas envolve essa habilidade que, por perfil centralizador, conservadorismo ou cultura, são um calo no sapato de muitas empresas. Por pressão, o mercado tornou-se mais flexível em diversos aspectos desde dress code, local de trabalho, pacote de benefícios e jornada até modelo de contratação. E a retenção de talentos passa diretamente por isso; as empresas que não se tornarem flexíveis terão muita dificuldade em reter e engajar os melhores talentos.

Tendo a flexibilidade como ponto focal, algumas tendências deverão ditar o comportamento do mercado em 2022. Aqui, listo as principais:

  • Trabalho híbrido

Tudo começou por uma questão de segurança. Em plena pandemia, fomos obrigados a ficar em casa e tocar a vida como se estivéssemos no ambiente de trabalho. Com a retomada gradativa, veio o modelo híbrido, parte em casa, parte no local de trabalho. Algumas empresas torceram o pescoço para o modelo, outras sequer voltaram e estão até hoje em home office.

O fato é que a tendência é de crescimento do modelo híbrido; as grandes organizações têm se adaptado bem a esse novo jeito de trabalhar e, como são elas que ditam a tendências, em breve, veremos empresas de portes médio e pequeno aderindo. Para corroborar o que o mercado já aponta, diversas pesquisas mostram que os funcionários aprovam o modelo.

  • Foco nas habilidades

O mercado sempre se concentrou nas funções como fator decisor para uma contratação. Saber executar determinada atividade era o mais importante; o conhecimento técnico era soberano. Mas, tudo muda e, as habilidades vêm ganhando força; para muitas empresas elas já são preponderantes.

É bem verdade que para assinar um balanço, o contador continuará sendo essencial, assim como um engenheiro é quem continuará construindo prédios. Mas, o mercado entenderá essas habilidades técnicas como o básico necessário e, as questões comportamentais, como a capacidade de gerir um time, de engajar e motivas pessoas, ser flexível e ter perfil resolutivo irão ser o grande diferencial numa contratação.

Por isso, por mais técnica que a profissão seja, desenvolver as soft skills nunca foi tão importante quanto agora.

  • Flexibilidade nos modelos de contratação

De forma geral, os modelos de contratação sempre foram muito cartesianos, até mesmo por conta da legislação brasileira que dá poucas brechas e dificulta os modelos que fujam à CLT. Mas, o mercado tem mostrado uma forte tendência a modelos diferentes das 44 horas semanais trabalhadas na mesma empresa.

Impulsionado pela área de tecnologia, o mercado tem valorizado a produtividade, o pagamento por serviços específicos, seja por hora ou por entrega. Os desenvolvedores de softwares já são muito acostumados a trabalhar por projeto, ou part time – simultaneamente em mais de uma empresa, com a carga horária reduzida para atender mais de um projeto ao mesmo tempo.

Em resumo, as principais tendências estão ligadas a flexibilidade, tecnologia e trabalho remoto, inclusive com a adoção do anywhere office ou trabalho em qualquer lugar. Sendo assim, se você é empregado ou empregador, vale fazer um planejamento de futuro que lhe permita se adaptar as mudanças, afinal, eles são inevitáveis e sempre vêm.

Comentários

Últimas notícias