PANDEMIA

Indiciamento de funcionários da gestão Geraldo Julio no caso dos respiradores pode levar ex-prefeito para a CPI da Covid

A PF concluiu o inquérito e indiciou três agentes públicos da gestão de Geraldo Julio. Há alguns dias, o TCE-PE decidiu que a dispensa de licitação havia sido regular e não apontou crime. Caso ficou sólido e deve ser usado por senadores

Igor Maciel
Igor Maciel
Publicado em 30/04/2021 às 17:51
Análise
ALEXANDRE GONDIM/JC IMAGEM
Geraldo Julio (PSB), ex-prefeito do Recife - FOTO: ALEXANDRE GONDIM/JC IMAGEM
Leitura:

O Tribunal de Contas do Estado avaliou a dispensa de licitação, na compra dos respiradores que, soube-se depois, só haviam sido testados em porcos, antes de serem postos à venda e não tinham autorização da Anvisa. Os conselheiros entenderam que a operação foi regular.

Fizeram apenas algumas ressalvas, mas justificaram afirmando que "o momento era extraordinário".

A decisão do tribunal acabou incentivando os socialistas a comemorarem como se tudo tivesse sido uma peça de ficção. Como se estivesse tudo resolvido. Não estava.

A Polícia Federal, que além de analisar os documentos, realizou operações na prefeitura, apreendeu materiais e ouviu testemunhas, concluiu outra coisa.

E a alegria do PSB durou só alguns dias.

Porque ficou bem claro que, longe de ser uma página virada, o caso dos "respiradores de porcos", como ficou conhecido o episódio, está cheio de "cenas dos próximos capítulos".

Nenhum assunto vai movimentar mais o mundo político nos próximos dias do que a CPI da Covid. Os senadores da tropa de choque bolsonarista estão ávidos por material que possa ajudá-los a desviar o foco da Comissão para governadores e prefeitos.

E, convenhamos, o indiciamento anunciado nesse caso do Recife deixa o material bastante sólido para ser apresentado por lá. Na próxima semana, senadores do governo pretendem apresentar requerimentos para convocar prefeitos, ex-prefeitos e governadores.

Geraldo Julio (PSB) estará na lista?

Comentários

Últimas notícias