Cena Política

"A oposição pode ter mais de uma candidatura, mas não pode brigar entre si", diz Armando sobre 2022

Ele cita Raquel Lyra, do partido dele, Anderson Ferreira e Miguel Coelho, admitindo que o grupo de oposição pode ter mais de um palanque para o governo. Fala também sobre a necessidade de os candidatos se respeitarem, o que não aconteceu em 2020, na eleição do Recife.

Igor Maciel
Igor Maciel
Publicado em 02/05/2021 às 8:00
Entrevista
Divulgação
Bruno Araújo, presidente nacional do PSDB, Raquel Lyra, presidente estadual do PSDB e Armando Monteiro Neto, ex-ministro e ex-senador - FOTO: Divulgação
Leitura:

Sobre a eleição de 2022 para o governo de Pernambuco, o ex-senador Armando Monteiro (PSDB) adverte que é preciso ter uma estratégia comum, mesmo que haja mais de uma candidatura no campo da oposição. Cabe lembrar que, em 2014 e em 2018 se buscou uma união em torno do nome dele. Isso não deve acontecer agora. Atualmente, Anderson Ferreira (PL), Miguel Coelho (MDB) e Raquel Lyra (PSDB) surgem como possíveis candidatos. Miguel tem sido mais incisivo, mas os três estão no páreo.

Veja o trecho da entrevista:


Em outro ponto da conversa, Armando diz que não pode acontecer o que ocorreu em 2020, quando os candidatos da oposição brigavam entre si na campanha do Recife:


Para ver os outros trechos da entrevista com Armando Monteiro, basta acessar os links abaixo:

 

Comentários

Últimas notícias