Cena Política

Presidente do Senado vai mudar de partido para disputar o lugar de Bolsonaro, mas objetivo é ajudar Lula

Foi feito um acordo que ajuda mais Lula (PT) do que qualquer outra coisa. Pacheco já avisou a alguns integrantes do DEM, seu partido, que está de saída.

Igor Maciel
Igor Maciel
Publicado em 19/10/2021 às 12:33
Análise
Ricardo Stuckert/Divulgação e Marcos Corrêa/PR
O ex-presidente Lula lidera a corrida eleitoral, com Bolsonaro em segundo - FOTO: Ricardo Stuckert/Divulgação e Marcos Corrêa/PR
Leitura:

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM), está de mudança para o PSD.

O DEM (na fusão com o PSL), questionou sobre o desejo dele de ficar e disputar espaço em uma candidatura a presidente da República com Luiz Henrique Mandetta (DEM) e José Luiz Datena (PSL), Pacheco não aceitou.

A ida para o PSD estava acertada com o presidente do partido, Gilberto Kassab (PSD), bem antes da fusão.

Mais especificamente, o acerto se deu na mesma época em que Pacheco, eleito com apoio de Bolsonaro para a presidência do Senado, liberou a CPI da Covid para ser instalada.

Ali, ele resolveu que disputaria o Executivo. Ele vai pra arriscar, ampliar o próprio nome, mas o objetivo é ajudar Lula (PT).

A candidatura de Pacheco servirá para rachar a terceira via, evitar que um nome como o de Eduardo Leite (PSDB) ou João Doria (PSDB), tenha força para derrubar Bolsonaro do segundo turno.

Sem Bolsonaro no segundo turno, Lula sabe que perde a eleição.

Comentários

Últimas notícias