Opinião

Bolsonaro "estende a mão" ao STF e comparece à sessão de homenagem ao ministro Dias Toffoli

Leia a opinião de Cláudio Humberto

JC
JC
Publicado em 10/09/2020 às 7:48
Notícia
Reprodução / TV Justiça
Dias Toffoli convidou o presidente Jair Bolsonaro a sentar-se no plenário do STF - FOTO: Reprodução / TV Justiça
Leitura:


Foi visto como um gesto de “mão estendida” a presença do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nas homenagens ao presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, na véspera da posse do ministro Luiz Fux.

Ao atravessar a Praça dos Três Poderes e comparecer à sessão, Bolsonaro quis demonstrar a disposição de
esquecer as duras críticas de 7 dos 11 ministros do STF, consideradas “cáusticas” pelo ministro Marco
Aurélio, que a partir de 1º de novembro assume o posto de novo decano do STF. O próprio Marco Aurélio,
que nesta quinta fará a saudação a Fux, na solenidade de posse, acha que o STF entrará numa fase mais
técnica.

Bolsonaro fez gesto semelhante comparecendo à posse do presidente do TSE, Luís Roberto Barroso,
que dias depois lhe fez duras críticas. Toffoli será lembrado pelas “intrigas do bem”, nas quais é mestre, e
pelo empenho por relações institucionais harmônicas entre os Poderes.

Imperial College errou

Em 27 de março, a Imperial College, do Reino Unido, divulgou previsão de infectados e mortos pelo
coronavírus para o mundo. Até agosto, no Brasil, seriam 187 milhões de infectados e 1,1 milhão de mortes,
dizia o mais pessimista dos cinco cenários do instituto. Ganhou as manchetes, mas era fake. Curiosamente, a principal voz do pior cenário da Imperial, virou “expert” contratado pelo TSE para ensinar o que é (ou não é) fake news. No entanto, quase seis meses depois, os resultados brasileiros estão melhores até que o cenário mais otimista da Imperial College. A Imperial tem três cenários para estratégias de combate ao covid: “sem intervenções” (distanciamento etc.), “intervenção geral” ou “aprimorada”. A estratégia drástica (aprimorada), que isola todos e se concentra nos idosos, previa 529 mil mortos no Brasil até agosto. Foram 121 mil. A Imperial também apresentou outros dois cenários que tratam do momento da adoção das estratégias de forma precoce ou tardia. Para o Imperial College, se o Brasil atacasse o covid de forma precoce, seriam 11,5 milhões de infectados. Eram 3,9 milhões no fim de agosto.

Poderes

Os discursos dos presidentes da Câmara, Senado e do STF foi mais uma manifestação da “confusão” entre as pessoas físicas que ocupam cargos e as instituições. Os três acham que são as instituições que comandam.

Errou

Âncora da BBC America disse ontem, com direito a legenda, que o Brasil registra “400 milhões de
infectados”. Eles ignoram que isso representa duas vezes a população brasileira e 100 vezes o número real de casos.

Lava Toga

Cutucou Flordelis Sem fim A operação desta quarta (9), cumprindo mandados em 50 endereços, ganhou o
nome de “E$quema S”, mas pode ser chamada de “Lava Toga”, pelo número de magistrados atingidos direta
ou indiretamente.

Flordelis

Somente ontem, quase vinte dias após ser acusada de mandar matar o marido, a deputada Flordelis (PSDRJ) foi notificada pela Corregedoria da Câmara sobre o processo no Conselho de Ética.

Cutucou

Na cerimônia desta quarta no STF, o presidente Jair Bolsonaro encarnou sua melhor versão “paz e amor”.
Pediu “que Deus ilumine” a todos, mas lembrou que chegou ao cargo pelo voto e eles por indicação política.

Sem fim

O “debate sem fim” da testagem do Covid, diz o New York Times, tem novo capítulo: especialistas
questionam a “sensibilidade” de testes PCR, que pode ser excessiva e identificar carga viral tão pequena que
não mereceria o “positivo”. A diferença nos resultados chega a 90%.

Frase

'A pandemia está perdendo seu vigor, isto é fato”, Victor Loyola, sócio e cofundador da fintech Consiga+, na
BandNews TV

Comentários

Últimas notícias