PANDEMIA

Pfizer e Janssen abusam do poder de produzirem as duas vacinas mais eficazes contra a covid-19

"No Brasil, além de exigirem aprovação de lei federal isentando-as de responsabilidade em caso de efeitos colaterais, ambas impuseram pagamento antecipado, lá fora, de uma espécie de sinal'". Leia a opinião de Cláudio Humberto

Cláudio Humberto
Cláudio Humberto
Publicado em 24/03/2021 às 6:15
Artigo
CHRISTOF STACHE / AFP
ANVISA Após decisão, bula da vacina irá indicar a nova faixa etária - FOTO: CHRISTOF STACHE / AFP
Leitura:

Pfizer e Janssen no Brasil

As farmacêuticas Pfizer e Janssen abusam do poder de produzirem as duas vacinas mais eficazes contra a covid-19. No Brasil, além de exigirem aprovação de lei federal isentando-as de responsabilidade em caso de efeitos colaterais, ambas impuseram pagamento antecipado, lá fora, de uma espécie de “sinal”. No caso das Pfizer, R$1,098 bilhão, equivalentes a US$200 milhões, e mais R$521 milhões (US$95 milhões) à Janssen. Sem vacinas no mercado, e sendo Pfizer e Janssen as melhores, o Brasil teve de acatar exigências, que em outros tempos seriam inaceitáveis. Os dois pagamentos tiveram de ser feitos em dólares, sem conversão para reais, e no exterior. Assim, não terão de pagar impostos no Brasil. O governo brasileiro comprou 100 milhões de doses da Pfizer e 38 milhões da Janssen, que tem a grande vantagem de dose única. Sob pressão e fragilizado, o governo não teve alternativa senão comprar as vacinas, para evitar a acusação de dar as costas às melhores vacinas.

Mais de 1 milhão de vacinas em 48h

O Plano Nacional de Imunização (PNI) ultrapassou pela primeira vez a marca de um milhão de vacinas aplicadas em 48h. Segundo o portal vacinabrasil.org, criado no Centro de Pesquisas Computacionais da Rice University (EUA), o Brasil aplicou 987 mil primeiras doses e 184 mil segundas doses de segunda (22) a terça (23), somando 1,17 milhão de vacinas em dois dias. Desde o início da imunização, já foram aplicadas 17,1 milhões de doses das 30 milhões disponibilizadas aos Estados. Na sexta (19), o Brasil chegou a mais de 551 mil doses aplicadas. O recorde já está próximo de virar média. A média diária de doses era de 205 mil em fevereiro, mas antes mesmo do fim de março mais que dobrou. Atualmente são 421 mil por dia. O ritmo segue acelerando, mas mesmo que continue nesse patamar, o Brasil conseguirá vacinar todos os maiores de 18 anos até o fim do ano.

Saia justa

Já está garantido o constrangimento do dia, no Palácio do Planalto, caso se confirme a presença do ministro Alexandre de Moraes acompanhando a reunião dos chefes de poderes, com alguns governadores e ministros.

Percentuais

Agora, quando negacionistas apontarem o percentual para desqualificar o número de vacinados, terão de lembrar que é ainda menor o percentual de casos totais de Covid (12,1 milhões) que de vacinados (12,7 milhões).

Só que não

Não é incomum magistrados reconsiderarem decisões. Raro é acontecer no Supremo Tribunal Federal (STF), sobretudo após a expressão “é como voto”. Tinha força de assinatura, após caso pensado. Só que não.

Provas valem

Mestre em Direito Penal pela PUC-SP, a jurista Jacqueline Valles jogou água no chope dos petistas após decisão do STF. “Torna a análise das provas dos processos sem efeito, mas ele ainda poderá ser condenado”.

Sobrou pro Piauí

O ministro Gilmar Mendes fez bem, desculpando-se do colega Nunes Marques. Ao argumentar contra voto do ministro, ele disse que aquilo não ser aceitável “nem aqui e nem no Piauí”. Poderia ser mal entendido.

Uma África

Todo o continente da África vacinou só 8,34 milhões de habitantes, dos quais quase 6,8 milhões apenas do Marrocos. No total, são 0,006% de vacinados no continente, o segundo mais populoso do mundo.

Frase

"É certo que outros dados que foram anexados aos autos levaram a uma combinação para mim diferente” Ministra Cármen Lúcia (STF) ao mudar o voto e declarar suspeição de Moro no caso Lula

 

Comentários

Últimas notícias