Opinião

Movimento dos caminhoneiros é a 'tempestade perfeita' para enfiar o Brasil no saco

Na greve ocorrida durante o governo Michel Temer, os caminhoneiros não suportaram 217 aumentos seguidos no preço dos combustíveis. Leia os destaques de Cláudio Humberto

Cláudio Humberto
Cláudio Humberto
Publicado em 09/09/2021 às 6:25
Foto: ABr
O governo ensaiou, mas nada fez para adotar gatilhos de compensação, usados em outros países, para neutralizar aumentos dos combustíveis - FOTO: Foto: ABr
Leitura:

'Tempestade perfeita'

Se há caminhoneiros com a fantasia de que fecharão o STF paralisando e quebrando o Brasil, há outros, numerosos, que estão revoltados com outro "poder" jamais desafiado: a Petrobras e sua política de aumentos (52 só este ano). Os aumentos da Petrobras esfolam os brasileiros para produzir lucros pornográficos, como os R$42,8 bilhões registrados em apenas 90 dias, no segundo trimestre deste ano. Mas, somada à crise política, cria-se a "tempestade perfeita" para enfiar o País no saco. Na greve anterior, durante o governo Michel Temer, os caminhoneiros não suportaram 217 aumentos seguidos no preço dos combustíveis. A política de preços na Petrobras foi inventada para reverter os prejuízos causados pela roubalheira dos governos do PT. E continua até hoje. A Petrobras e seus investidores se aproveitam do monopólio, dos favores de ser estatal, para impor selvagemente os preços que bem entendem. O governo ensaiou, mas nada fez para adotar gatilhos de compensação, usados em outros países, para neutralizar aumentos dos combustíveis.

Temperança faz bem

Em momentos, nesta quarta (8), o presidente do STF, ministro Luiz Fux, mostrou-se irritado, indignado mesmo, enquanto lia seu discurso. Fez lembrar o ministro aposentado Marco Aurélio, que mais cedo, havia recomendado a ele "temperança, equilíbrio, auto-contenção".

Ócio

Ao contrário do Senado, a Câmara não enforcou a semana, mas quase. A sessão da comissão de Agricultura demorou a começar por falta de presidente e quando acharam, foi encerrada porque não havia relatores.

Aviso prévio

O diretor da Aneel Gentil Nogueira disse, na Câmara, que a capacidade dos reservatórios das hidrelétricas pode ficar abaixo do mínimo de 19% registrado na crise hídrica de 2014. Hoje está em 28,8%. Mais parece um aviso de que as termelétricas, amigas da Aneel, ganharão novo aumento.

Lá fora

Estes dias, a brasileira do canal de Youtube "Israel com Aline" saiu às ruas de Jerusalém enrolada em uma bandeira do Brasil, para saber o que os israelenses pensam do País. Só ouviu palavras de encantamento.

Pernas curtas 

O deputado Leandro Grassi (Rede) difundiu a fake news de que Ibaneis Rocha, governador do DF, teria saído de Brasília terça (7). Era mentira. Agora, diz que supostos blogs "fantasmas" recebem patrocínio oficial.

Patrulha fascista 

A patrulha intolerante atacou o craque Lucas Moura, por haver publicado foto da bandeira do Brasil e as palavras "liberdade e independência". Ele vive na Europa há anos, hoje joga pelo Totteham, de Londres. Sofreu um linchamento nas redes sociais por haver homenageado seu próprio País.

Lanterninhas

Entre todas as unidades da federação, apenas Roraima e Amapá ainda não imunizaram (com duas doses ou o imunizante de dose única) mais de 20% de suas populações.

Frase

"A pacificação entre os Poderes é a posição inteligente. O País passa por dificuldade, não é a hora de incendiarmos o Brasil" - Deputado Darci de Matos (PSD-SC) sobre as manifestações de 7 de setembro.

Comentários

Últimas notícias