Coluna Cláudio Humberto

Brasil se tornou um dos líderes na redução da emissão de gases poluidores

Queda foi de -2,1% entre 2015 e 2020, segundo dados do JRC, órgão da União Europeia que produz o relatório anual "Fossil CO2 emissions of all world countries"

Cláudio Humberto
Cadastrado por
Cláudio Humberto
Publicado em 22/04/2022 às 7:33 | Atualizado em 28/04/2022 às 9:47
Divulgação
Em 22 de abril de 2016, 195 países das Nações Unidas (ONU) assinaram o Acordo de Paris para combater as mudanças climáticas e o aquecimento global - FOTO: Divulgação
Leitura:

Em 22 de abril de 2016, 195 países das Nações Unidas (ONU) assinaram o Acordo de Paris para combater as mudanças climáticas e o aquecimento global com compromissos para a redução da emissão de gases de efeito estufa. De lá para cá, o Brasil se tornou um dos líderes na redução da emissão de gases poluidores, entre grandes economias mundiais: -2,1% entre 2015 e 2020, segundo dados do JRC, órgão da União Europeia que produz o relatório anual "Fossil CO2 emissions of all world countries", que acompanha esse cenário no planeta.

O Brasil é apenas o 14º maior poluidor, responsável por 1,3% dos gases de efeito estufa, enquanto contém quase 3% da população mundial. Entre os países do BRICS (China, Índia, Rússia, e África do Sul), só o Brasil reduziu emissões perigosas ao meio-ambiente, desde Paris.

A Austrália aumentou as emissões de gases de efeito estufa em 1,8% desde 2015, o Irã em 3%, a Índia em 3,2% e a Turquia, em 3,5%. Os Estados Unidos reduziram as emissões em 0,7% e a União Europeia em 1,4%. O moderno Japão também reduziu menos que o Brasil: 1,5%.

Supersalários paralisou no Senado

O projeto de lei criado pelos próprios senadores da Comissão Especial do Extrateto, em 2016, que limitaria os supersalários no serviço público, foi aprovado na Câmara dos Deputados em julho do ano passado e remetido de volta ao Senado. Desde então está dormindo nas gavetas da Comissão de Constituição de Justiça (CCJ) do roda-presa Davi Alcolumbre (UB-AP), sem sequer ter relator designado para a matéria.

O PLS 449/16 virou PL 2721/21 na Câmara, passou por três comissões, incluindo uma exclusiva ao tema. No Senado, não houve movimentação. O projeto de lei cria 32 exceções ao limite do teto salarial imposto pela Constituição, incluindo o "auxílio-fardamento".

Licenças-prêmio, auxílios diversos, como moradia, alimentação, funeral etc., e ajudas de custos de mudança e transporte continuam intocados.

Sem paz e amor

O clima de 'já ganhou' levou o PT a falar em 'revogaço', descriminalizar o aborto e até regular a mídia. Para o publicitário Janiel Kempsaers, é um erro falar apenas para seus eleitores, deixando de lado os indecisos. "Abriu precedente para recuperação substancial de Jair Bolsonaro", diz.

Sucesso

O governo federal já disponibilizou mais de 102% das doses de vacinas necessárias para imunizar toda a
população brasileira contra a covid com duas doses. São 163 milhões (85,5%) com o esquema vacinal
completo.

Rapidez

O julgamento de Daniel Silveira durou cerca de cinco horas, mas impressionou mesmo a rapidez de oito
ministros, que costumam levar até dias nos seus votos. De Edson Fachin a Luiz Fux foram 63 minutos.

Sem trégua

A gasolina quase dobrou nos últimos dois anos e a escalada do preço continua. Levantamento TicketLog
mostra que o valor do litro subiu mais 2% em relação a março, apenas na primeira quinzena de abril.

Inflação é chave

Para o ex-ministro do governo Temer Moreira Franco, a inflação será tema chave da eleição. "Candidatos a presidente devem dizer como a inflação será contida. E como teremos emprego e renda novamente", diz.

Da PF à Câmara

Virou pré-candidato a deputado federal no Rio o ex-diretor da Abin Alexandre Ramagem (PL), cuja nomeação à direção da Polícia Federal foi o pivô para a ação de "interferência na PF" do presidente
Bolsonaro.

Frase

"Desânimo e decepção". Deputado José Medeiros (Pode-MT) sobre o resultado do julgamento de Daniel
Silveira

Comentários

Últimas notícias