CUSTO BENEFÍCIO

Fizemos as contas para ver se vale a pena abastecer com a nova gasolina; entenda

Com promessa de rendimento até 6% maior, a nova gasolina chega esta semana aos postos do Recife. E deve vir com aumento de preço em relação a atual

Edilson Vieira
Edilson Vieira
Publicado em 03/08/2020 às 23:14
Notícia
FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM
Nova gasolina tem padrão de qualidade internacional e vai substituir a gasolina atualmente vendida - FOTO: FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM
Leitura:

Os postos de gasolina do Recife ainda não receberam a nova gasolina que, a partir desta semana, começa a ser vendida em todo o Brasil. Mas, os motoristas recifenses ouvidos pela reportagem do Jornal do Commercio reagiram positivamente à chegada do novo combustível, que segue padrões internacionais de qualidade. A nova gasolina vai substituir a que existe até então prometendo algumas vantagens, a principal é a redução média entre 4% e 6% no consumo dos veículos, segundo a Petrobras, responsável pelo refino de cerca de 95% da gasolina distribuída nacionalmente.

Dono de quatro postos de gasolina, o comerciante Eimar Morais disse que até a próxima quarta-feira (5) começa a renovação dos estoques, mas ele ainda não sabe se a nova gasolina virá com o aumento, como estão propagando. “Por se tratar de um combustível mais nobre é esperado que venha um pouco mais cara, mas ainda não temos nenhuma indicação de quanto será este aumento”, disse Eimar. O comerciante afirmou ainda que o preço da gasolina tem variado bastante, tanto para cima como para baixo. “No último sábado houve uma redução de 4%. Mas o mercado é livre para repassar variações, ou não. Depende de muita coisa, principalmente da concorrência do posto vizinho”, disse o empresário.

RENDIMENTO

Quando anunciou a produção da nova gasolina, na última quarta-feira (29), a Petrobras já acenou com a possibilidade do reajuste, ao divulgar nota afirmando que “o ganho de rendimento de 5%, em média, proporcionado pela nova gasolina compensará uma eventual diferença no preço da gasolina, porque o consumidor vai rodar mais quilômetros por litro”.

A pedido do Jornal do Commercio, o consultor técnico Alexandre Costa, diretor da Alpha Consultoria Automotiva, calculou o rendimento do motor de um carro popular com a nova gasolina e concluiu que o custo por quilômetro rodado cai, compensando um aumento de até 10% no preço, caso haja a melhora no consumo do veículo, como prometido.

Costa levou em consideração o preço médio da gasolina no Recife de R$ 4,26 o litro, aplicando um suposto aumento de 10%. A referência utilizada nos cálculos foi um carro com tanque de 48 litros de capacidade e consumo médio de 13 quilômetros por litro. “Para encher o tanque desse carro o motorista gastaria R$ 204,48. Com esta quantidade de combustível ele percorreria 624 quilômetros. Aplicando o aumento de 10%, a gasolina passaria para R$ 4,69 por litro. O custo para encher o tanque ficaria então em R$ 224,00”, explicou Costa. O consultor aplicou então a melhora de 6% no consumo, com a nova gasolina, fazendo o motor render não mais 13 quilômetros por litro, e sim 13,78 quilômetros.

CUSTO

O ganho no consumo parece pouco, mas a autonomia (distância que o carro pode percorrer com um tanque de combustível), ganhou 37 quilômetros. “O custo por quilômetro rodado é de R$ 3,05 na primeira situação (com a gasolina antiga custando R$ 4,26). Com a gasolina nova, o custo por quilômetro rodado cai para R$ 2,94. A redução no custo foi de 3,64%, mesmo com o aumento de 10% aplicado ao preço da gasolina”. Alexandre Costa diz que esse cálculo é hipotético mas o fato de a nova gasolina entregar uma autonomia maior, já representa um ganho financeiro para o motorista. Embora, claro, essa vantagem seja diluída nos aumentos seguintes. “Há outros ganhos mais permanentes com essa nova gasolina como a redução na emissão de poluentes e uma facilidade maior em detectar possíveis adulterações, o que vai desestimular a prática da venda da gasolina batizada, como se diz”, concluiu o consultor.

O motorista de táxi Jailson Abdias, roda cerca de 300 quilômetros por dia e coloca sempre gasolina ou etanol. No posto onde ele parou para abastecer, no Bairro do Cordeiro, a gasolina custava R$ 4,29 o litro. “Ouvi falar dessa nova gasolina. Dizem que vai render mais. Se for verdade, compensa”, afirmou o taxista.

A agente de viagens Amanda Rodrigues afirmou que também não se incomoda de pagar um pouco mais, desde que a qualidade corresponda. “Para o consumidor é importante ter um produto superior, e se ajudar a economizar, melhor ainda”, afirmou Amanda.

Iranete Pontes é motorista profissional por aplicativos e, como roda muito, alterna o abastecimento entre a gasolina e o etanol "dependendo do preço". Ela conta que no momento tem preferido o combustível vegetal, mas está pronta para trocar pela nova gasolina. "Nesse trânsito da cidade o etanol acaba logo. Se essa gasolina for tudo isso que dizem pode valer a pena", afirmou.

FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM
A motorista Iranete Pontes usa mais etanol mas quer experimentar a nova gasolina - FOTO:FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM
FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM
A agente de viagens concorda em pagar um pouco mais "desde que a qualidade corresponda" - FOTO:FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM
FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM
O taxista Jailson Abdias esperar rodar mais com a gasolina de nova formulação - FOTO:FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM
Divulgação
Diretor da Alpha Consultoria Automotiva, Alexandre Costa, diz que uma simples calibragem de pneu já faz diferença no consumo - FOTO:Divulgação

Comentários

Últimas notícias