PESQUISA

Veja quais são os produtos que deverão ter os maiores e os menores descontos na Black Friday

Confederação Nacional do Comércio pesquisou variação de preços de 48 produtos nos últimos 40 dias para identificar quais devem ter maiores descontos e os que podem não baixar de preço

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 18/11/2020 às 20:44
Notícia

Agência Brasil
Black Friday chegou ao Brasil pela internet, mas hoje em dia as lojas físicas aderiram às promoções de fim de ano - FOTO: Agência Brasil
Leitura:

O comércio varejista deve movimentar um recorde de R$ 3,74 bilhões em vendas na campanha de promoções da Black Friday deste ano, calcula a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Se confirmado, o faturamento será 6% maior que o dessa temporada de liquidações de 2019, quando somou R$ 3,67 bilhões. Descontada a inflação do período, as vendas terão crescimento real de 1,8% em relação a igual período do ano passado.

"Será a primeira data do varejo a registrar crescimento este ano, pelo menos até agora. Desde a Páscoa até o Dia das Crianças, todas as datas comemorativas registraram queda nas vendas", lembrou o economista Fabio Bentes, responsável pelo cálculo da CNC.

"O peso da loja física ainda é muito maior que o do e-commerce. As vendas online cresceram muito nos últimos meses, mas a gente estima que a participação do comércio eletrônico no varejo esteja em torno de 8%", justificou Bentes.

MAIORES DESCONTOS

A CNC fez um estudo de preços para identificar os produtos com maior probabilidade de descontos efetivos e outros que poderiam cair no fenômeno informalmente conhecido como "Black Fraude".

Segundo uma coleta diária de preços de mais de dois mil itens agrupados em 48 linhas de produtos ao longo dos últimos 40 dias encerrados em 15 de novembro, os produtos com mais chances de terem descontos atrativos são os consoles de videogame, que ficaram 19% mais baratos no período. Em seguida aparecem notebooks, 17% mais baratos no período anterior às promoções; games para PC (14% mais baratos); calça masculina (13% mais baratos); aspirador de pó e água (-11%), Smart TV Box (-10%); e tênis (-8%).

Na direção oposta, ficaram mais caros nas semanas que antecedem a Black Friday - e por isso menos propensos a descontos efetivos - os óculos de sol (10%), joystick (15%), camisas de clubes de futebol (17%), colchão (21%) e bicicleta (22%).

"A loja que vende uma bicicleta vai ter que dar um desconto de pelo menos 30% para chamar atenção. O desconto, para ser efetivo, teria que ser ao menos de 23%. E a gente pesquisa os cinco modelos de bicicletas mais vendidos em cinco lojas diferentes. A chance de todas darem o desconto é pequena. E a loja pode dar o desconto em apenas uma das bicicletas, nos outros modelos não. Por isso que a chance de um desconto efetivo de fato é maior num videogame, laptop, aspirador de pó", explicou Bentes.

 

Comentários

Últimas notícias