COLUNA DINHEIRO

Contenção de despesas: reduzir, substituir ou cortar

Quando se fala de redução de despesas, encare de uma forma ampla, veja como a busca por diminuir os gastos, tendo as possibilidades aqui indicadas de reduzir, substituir ou cortar

Leandro Trajano
Leandro Trajano
Publicado em 03/07/2021 às 9:05
Notícia
PIXABAY
Tem momentos que é bem necessário conter despesas e, além disso, evitar novos gastos - FOTO: PIXABAY
Leitura:

Dentre tantos desafios, independente da fase da vida, muita gente já parou e pensou: “não dá mais, preciso reduzir as despesas ou a situação vai piorar!” Na verdade, isso de reduzir despesas é bem coerente, importante sim, independente do momento que cada um estiver vivendo, pois como diz uma frase que gosto: “despesa é como unha, tem que cortar sempre”. Isso mesmo, tem momentos que é bem necessário conter despesas e, além disso, evitar novos gastos. Dessa forma, você terá mais condições de ter o controle nas mãos, e com isso procurar evitar maiores problemas financeiros.

Mas que ajustes você pode tomar em relação às despesas que tem? A contenção de despesas não seria exatamente o corte delas, ou seja, simplesmente tirar aquela despesa da sua rotina, do seu orçamento. Não é exatamente isso, antes é necessário analisar as despesas que se tem.

Vou listar abaixo algumas atitudes que devem contribuir nesse sentido e que vejo muita gente generalizar, mas é diferente, estou falando a respeito de reduzir (termo mais abrangente e mais usado), substituir e cortar despesas, que apesar de parecidos, são diferentes.

Reduzir despesas: é, por exemplo, ir alguns dias para o trabalho caminhando a fim de não gastar com transporte. Na ida ao supermercado, comprar apenas os itens essenciais, reduzir o consumo de energia ou de água potável, entre outras atitudes de redução de gastos. É procurar reduzir o valor que gasta determinado item a cada mês, ou até mesmo reduzir a quantidade a fim gastar menos. Por exemplo, reduzir a quantidade de itens comprados na feira, de forma que você não precisa cortar ele da lista, mas vai consumir ele em menor quantidade, apenas nos fins de semana, por exemplo.

Substituir: é, por exemplo, a mudança da operadora de telefone celular escolhendo uma que o serviço/pacote é similar, mas os custos são menores. Da mesma forma em relação à internet, podendo mudar de uma empresa para outra que oferece um serviço similar e mais barato. Passar a ir para o trabalho de bicicleta a fim de, com essa substituição, gastar menos com transporte, substituir alguns produtos mais caros por outros mais baratos, assim você não vai tirar do seu dia a dia, porém terá um gasto menor ao substituir os mais caros por outras opções de menor preço.
Isto é, procurar alternativas para manter o serviço, porém de forma que você tenha acesso a ele num valor abaixo do que está pagando.

Cortar despesas: essa é de fato a mais forte, seja por se tratar de uma despesa desnecessária ou devido à necessidade do momento. O corte é tirar de vez aquela despesa do orçamento, sem objetivo de redução ou de substituição mesmo. É cortar, mesmo que por uma fase, o almoço do domingo com a sua família que era sempre fora de casa, mas, no cenário atual, sem possibilidades, vamos cortar essa despesa que pesava um pouco mais e acontecia em média 4 vezes por mês.

Então, quando se fala de redução de despesas, encare de uma forma ampla, veja como a busca por diminuir os gastos, tendo as possibilidades aqui indicadas de reduzir, substituir ou cortar.
Para fechar, vou sugerir um exercício para você. Diante do que vimos hoje e do seu conhecimento em relação à realidade financeira de sua família, pegue um pedaço de papel e escreva três possibilidades para cada atitude (reduzir, substituir e cortar) e, de pronto, determine um prazo e corra atrás disso. Agora fazer acontecer só depende de você!

Abraço a até a próxima!

Comentários

Últimas notícias