COLUNA ENEM E EDUCAÇÃO

Dia do Professor: projetos sociais no Recife estimulam a docência

No Instituto JCPM, pré-universitário tem despertado interesse em jovens para seguirem o magistério

Margarida Azevedo
Margarida Azevedo
Publicado em 15/10/2021 às 0:00
Notícia
GUGA MATOS/JC IMAGEM
Professora Karla Dantas ensinando aos alunos do IJCPM - FOTO: GUGA MATOS/JC IMAGEM
Leitura:

Recém-formado em história pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Thiago Abercio, 22 anos, descobriu que seu futuro profissional seria numa sala de aula durante o cursinho pré-universitário oferecido pelo Instituto JCPM de Compromisso Social. Foi também lá que Karla Dantas, 27, graduada em letras, teve certeza, quando era uma das alunas, de que seguiria a carreira de professora. Para o judoca Marcílio Félix, 37 anos, o despertar para a docência aconteceu ao se tornar monitor, ainda adolescente, de um projeto realizado numa escola pública no bairro de Brasília Teimosa, Zona Sul do Recife. Neste Dia do Professor, comemorado hoje, as histórias de Thiago, Karla e Marcílio reforçam como é importante a realização de projetos sociais voltados para educação para instigar nos jovens a procura pelo magistério. E como a atuação deles, agora como docentes, ajuda a motivar outras pessoas a fazerem o mesmo.

Um estudo da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), divulgado em 2018, mostrou que somente 2,4% dos alunos brasileiros de 15 anos tinham interesse em ser professores. "Foi no ambiente do IJCPM que descobri que queria ser professor. A convivência com outros colegas e a troca com os docentes contribuíram muito para que eu escolhesse a licenciatura", conta Thiago. Ele participou do pré-vestibular do IJCPM em 2016. No ano seguinte foi aprovado em primeiro lugar, entre os cotistas, no curso de história da UFPE. Nesse mesmo ano voltou para o instituto, desta vez como mentor educacional. Ele ajuda vestibulandos numa mentoria voltada para autoconhecimento e planejamento educacional. "A curiosidade e a busca pelo conhecimento movem os professores. Fiquei feliz porque recentemente um aluno meu disse que tinha vontade de seguir o magistério", comenta Thiago.

"Quando era criança eu gostava de brincar de escolinha. Ter participado do pré-vestibular do Instituto JCPM em 2010 só confirmou meu desejo de ser professora. Projetos sociais voltados para educação são a oportunidade para que jovens como eu, que vim de um bairro simples como Brasília Teimosa, possam ter melhores perspectivas de futuro. Sou muito realizada hoje como professora e feliz por retribuir isso para a sociedade", destaca Karla. Atualmente ela é instrutora de comunicação e professora de linguagens e redação no instituto. O pré-universitário do IJCPM existe desde 2010 e já beneficiou cerca de 800 jovens do Pina e de Brasília Teimosa.

"Pratico judô desde os 6 anos. Comecei num projeto do professor Jonas Nascimento, na Escola Estadual Assis Chateubriand, em Brasília Teimosa. Ele foi a pessoa que mais me incentivou, me guiou e sempre foi fonte de inspiração. Hoje procuro fazer o mesmo com meus alunos do Pró-Criança, colocar o judô como instrumento de transformação social", diz Marcílio. "Se eles não forem grandes atletas espero ao menos que se tornem pessoas do bem. Em um mundo tão conturbado e que a educação fica em segundo plano, ajudar na formação desses jovens é algo para se exaltar", afirma Marcílio, que ensina 140 alunos com idades de 6 a 25 anos.

 

Comentários

Últimas notícias