COLUNA ENEM E EDUCAÇÃO

Estudante de Pernambuco diz que Inep o colocou para fazer Enem na Paraíba sem que ele pedisse

Aluno de escola pública, jovem candidato de engenharia civil vai sair do Recife para prestar o Enem em João Pessoa, nos próximos dois domingos, sem que isso tenha sido escolha sua

Margarida Azevedo
Cadastrado por
Margarida Azevedo
Publicado em 17/11/2021 às 18:37 | Atualizado em 17/11/2021 às 19:57
Acervo pessoal
Fera de engenharia, Júlio César Nascimento fará prova na Paraíba, mas garante que se inscreveu para fazer o Enem em Pernambuco - FOTO: Acervo pessoal
Leitura:

Se fazer o Enem na cidade em que mora já é motivo de preocupação para muitos estudantes devido ao deslocamento até o local de prova, imagine ter que viajar para outro Estado sem que isso tenha sido a opção do candidato. É o que vai acontecer com o vestibulando pernambucano Júlio César Nascimento, 17 anos, fera de engenharia civil.  Em Pernambuco há 178.777 inscritos no Enem, num universo de 3,1 milhões de candidatos no País.

Morador do Recife, ele se surpreendeu ao conferir seu cartão de inscrição. Foi designado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão do Ministério da Educação (MEC) responsável pelo exame, para responder a avaliação, nos próximos dois domingos (dias 21e 28), em João Pessoa, na Paraíba, distante 116 quilômetros da capital pernambucana.

"Coloquei todos os meus dados corretos na hora da inscrição. Até pedi ajuda a meu irmão, que é mais velho que eu, justamente para que outra pessoa conferisse tudo comigo. Assinalei a opção Pernambuco e a cidade, Recife", conta Júlio, aluno do 3º ano do ensino médio da Escola Liceu de Artes e Ofícios, colégio da rede estadual localizado na Boa Vista, área central da cidade.

Assim que o Inep liberou o acesso aos cartões de inscrição, Júlio entrou na página do participante. "Tomei um susto quando vi que o endereço das provas era uma faculdade de João Pessoa. Fiquei nervoso pois o erro não foi meu. Liguei para o Inep e passei 1h e 4 minutos esperando para ser atendido. Disseram que não havia o que fazer pois não mudam o local de prova. Também acessei o site e reclamei por escrito. Responderam a mesma coisa", diz Júlio.

"Essa mudança de local me deixou mais ansioso. Além de me desestabilizar, será um custo a mais. Meu pai e um tio meu vão me levar de carro, saíremos cedo de Recife no domingo. Só para ir e voltar de João Pessoa vamos gastar pelo menos um tanque de gasolina, ou seja, uns 200 reais. Sem contar as despesas com alimentação. E tem ainda o medo de que algo de errado aconteça no caminho", comenta o adolescente.

Um site de notícias do Espírito Santo relatou um caso semelhante. Segundo o portal Espírito Santo Hoje, um candidato de Vitória, capital capixaba, descobriu que seu local de provas do Enem fica em Garulhos, São Paulo. Ele também garante que não pediu para prestar o exame longe do seu Estado de origem.

O JC pediu esclarecimentos ao Inep, por email, conforme orienta a Assessoria de Imprensa do órgão. Também por telefone, sem sucesso. Até a publicação desse texto não houve retorno do instituto a respeito do caso do estudante pernambucano Júlio César.

Comentários

Últimas notícias