COLUNA ENEM E EDUCAÇÃO

No novo Enem, haverá questões subjetivas e estudante vai escolher provas do segundo dia

Novo formato do Enem, para atender as mudanças implementadas no novo ensino médio, foi apresentado nesta quinta-feira pelo Ministério da Educação. Passa a valer em 2024

Margarida Azevedo
Cadastrado por
Margarida Azevedo
Publicado em 17/03/2022 às 15:38 | Atualizado em 04/04/2022 às 18:52
FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
Candidatos continuarão tendo dois dias de provas no Enem - FOTO: FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
Leitura:

O novo Enem, que começará a valer em 2024, ou seja, vai ser feito pelo estudante que hoje está cursando o 1º ano do ensino médio, continuará a ser realizado em dois dias. Será modificado para atender ao novo ensino médio, que começou a ser implementado este ano. Uma novidade vai ser a possibilidade de haver questões abertas nas provas objetivas (hoje são apenas de múltipla escolha).

No primeiro dia do exame, todos os candidatos farão as mesmas provas. Já no segundo dia, cada estudante vai escolher um bloco com duas áreas do conhecimento. As mudanças foram anunciadas pelo Ministério da Educação (MEC) na tarde desta quinta-feira (17).

No primeiro dia do Enem, a referência para os conteúdos que serão cobrados nos testes será a Base Nacional Comum Curricular (BNCC). As questões vão aparecer de forma interdisciplinar e contextualizada. Haverá mais ênfase em português e matemática.

A prova de redação está mantida e ocorrerá neste dia. A disciplina de inglês, que aparece como obrigatória no novo ensino médio, vai aparecer na área de linguagens.

O segundo dia do Enem será elaborado a partir dos itinerários formativos do novo ensino médio. Nesse dia, cada candidato vai escolher um bloco para responder as questões, a partir da graduação que deseja cursar no ensino superior. O MEC criou quatro blocos, cada um com duas áreas do conhecimento.

Bloco 1 - Linguagens e ciências humanas
Bloco 2 - Matemática e ciências da natureza
Bloco 3 - Matemática e ciências humanas
Bloco 4 - Ciências da natureza e ciências humanas

Para reformular o Enem, foi constituído um Grupo de Trabalho, no meio do ano passado, com representantes do MEC, Inep, Conselho Nacional de Educação (CNE) e outras entidades. As mudanças foram aprovadas pelo CNE e enviadas para o MEC, que acatou.

BÔNUS

No novo ensino médio, um dos itinerários formativos é a formação técnica e profissional. Segundo o MEC, como a oferta de cursos técnicos compreende 13 áreas - seria difícil incluí-las com provas específicas no Enem.

Nesse caso, o candidato fará o exame como os demais inscritos. Mas o governo federal vai sugerir que as universidades concedam bônus para o jovem que escolher a graduação que tenha aderência com o curso técnico que ele fez.

"Estamos introduzindo a proposta de bonificação para estudante que fez formação técnica. Ele não está dispensado, vai fazer o bloco de questões de acordo com o curso superior que deseja e a instituição aponta. A nota dele vai ter uma ponderação de acordo com aderência da formação técnica dele ao curso superior pretendido", explicou o secretário de Educação Básica do MEC, Mauro Rabelo.

MATRIZES

Agora, caberá ao Inep elaborar as novas matrizes de referência para mudar o atual Enem. Essa divulgação das matrizes é de grande importância para que as escolas se organizem, já a partir deste ano de 2022, na preparação dos seus alunos. 

O Enem é o maior exame de acesso ao ensino superior do País. Com as notas é possível concorrer a vagas em graduações de universidades públicas e privadas brasileiras e estrangeiras. O Sistema de Seleção Unificada (Sisu), o Programa Universidade para Todos (Prouni) e o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) usam o resultado do Enem.

 

Comentários

Últimas notícias