COLUNA ENEM E EDUCAÇÃO

Como será o uso de máscaras na escolas estaduais e particulares de Pernambuco?

Na rede estadual, alunos, professores e funcionários poderão deixar de usar máscara nos ambientes abertos. Nas escolas privadas, definição desses espaços vai depender de cada unidade de ensino

Margarida Azevedo
Cadastrado por
Margarida Azevedo
Publicado em 29/03/2022 às 20:33 | Atualizado em 29/03/2022 às 21:44
WELLINGTON LIMA/JC IMAGEM
Nas escolas estaduais, exigência de máscara será somente em locais fechados - FOTO: WELLINGTON LIMA/JC IMAGEM
Leitura:

Escolas públicas e privadas de Pernambuco devem continuar exigindo o uso de máscaras por alunos, professores e demais funcionários nos ambientes fechados. Significa que em espaços como salas de aula, laboratórios e bibliotecas, portar o acessório ainda é obrigatório. A liberação dessa proteção contra a covid-19 se dará apenas em locais abertos.

Apesar da flexibilização pelo governo estadual, os secretários de Saúde e de Educação de Pernambuco, André Longo e Marcelo Barros, respectivamente, recomendam que a comunidade escolar mantenha o acessório enquanto estiver dentro dos colégios.

BOM SENSO

Como se trata apenas de uma recomendação, ficar de máscara na frente das unidades de ensino, nos jardins e em pátios abertos, por exemplo, vai depender do bom senso das pessoas. "Minha recomendação é de uso da máscara. A escola é o principal ambiente de educação sanitária, então tem que haver esse estímulo para crianças e adolescentes. Especialmente porque ainda não temos uma cobertura vacinal segura para eles", destacou André Longo.

Ele disse que onde houver "tendência de aglomeração", é melhor estar de máscara. "Mesmo num local aberto, é importante que faça uso a da máscara para sua proteção e das outras pessoas, embora não seja obrigatório", afirmou o secretário estadual de Saúde.

PROTOCOLO

O decreto publicado nesta terça-feira (29) pelo governo estadual no Diário Oficial com as novas medidas de flexibilização em relação à pandemia não detalha o que são espaços abertos ou fechados. Segundo Marcelo Barros, até o final desta semana a Secretaria de Educação de Pernambuco vai atualizar o protocolo sanitário que norteia a utilização das escolas durante a pandemia com essas definições.

"O conceito de espaço aberto é muito subjetivo. Dentro das salas de aula, nos corredores, nas quadras, onde for fechado, com coberta, continua tendo que usar máscara. Mas mesmo com a queda dos indicadores da covid-19 no Estado, manter a cautela é importante. Por isso sugerimos que a máscara permaneça sendo utilizada dentro das escolas", disse o secretário estadual de Educação.

NÚMEROS

O Estado tem cerca de 2,2 milhões de alunos na educação básica, segundo o Censo Escolar do Ministério da Educação de 2020. As escolas particulares somam quase meio milhão de discentes. A rede estadual tem 450 mil estudantes, enquanto as escolas municipais somam cerca de 1,1 milhão de matrículas nas 184 cidades pernambucanas.

Até ontem, de acordo com o painel de vacinação mantido pela Secretaria Estadual de Saúde, somente 8,24% das crianças de 5 a 11 anos estavam com o esquema vacinal completo. Vale lembrar que a imunização para esse público começou apenas em janeiro deste ano. Com uma dose são 47,8%. Entre os adolescentes de 12 a 17 anos, a cobertura vacinal é de 52,05% com duas doses. Com apenas uma, 72,64%.

REDES

Na rede municipal do Recife - são 331 creches e escolas, com 95 mil alunos - a Secretaria Municipal de Educação informou que continuará exigindo o uso da máscara em todos os ambientes, independente de serem abertos ou fechados.

Nas escolas estaduais, conforme Marcelo Barros, alunos, professores e funcionários deverão seguir o que autorizou o governo: usar máscara onde for ambiente fechado.

Nas escolas privadas, devido à especificidade de cada unidade, a definição dos espaços em que será permitido ou não circular sem máscara vai depender do entendimento de cada direção, na avaliação do presidente do Sindicato das Escolas Particulares de Pernambuco (Sinepe), José Ricardo Diniz.

"Essa flexibilização do comitê estadual dificulta a parte operacional, de controle. Cada colégio tem diferenças em relação à estrutura física. O relativismo é muito grande. Entendemos portanto que não há como estabelecer uma norma padrão. É impossível que todas as escolas atuem da mesma maneira", comentou José Ricardo.

UFPE

A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) divulgou comunicado informando que "reitera a obrigatoriedade da máscara de proteção respiratória para acesso e circulação nos espaços físicos fechados e internos da instituição".

Sobre o uso em locais abertos, destacou que recomenda a permanência do acessório, principalmente em locais com aglomerações e para pessoas com comorbidades. Mas que nesses espaços será facultativo. Comunicou ainda que mantem a obrigatoriedade do esquema vacinal completo para acesso e permanência nas dependências da instituição.

 

Comentários

Últimas notícias