NOVOS QUADROS

João Paulo deixa PCdoB e retorna ao PT, que também filia representante do MST

Janela partidária movimenta o PT em Pernambuco, que resgata quadro histórico ao mesmo tempo que dá legenda para jovem do MST

Augusto Tenório
Augusto Tenório
Publicado em 11/03/2022 às 8:57
ROBERTO SOARES/ALEPE
EX-PREFEITO No PCdoB desde 2017, deputado estadual combinou filiação à sigla com o ex-presidente Lula - FOTO: ROBERTO SOARES/ALEPE
Leitura:

De saída do PCdoB, João Paulo retorna nesta sexta-feira ao Partido dos Trabalhadores. Para recebê-lo, foi preparado um ato de filiação em massa nesta sexta (11). Junto com o atual deputado, o PT vai filiar também uma representante do Movimento dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais Sem Terra (MST) para lançá-la candidata a deputada estadual.

Trata-se de Rosa Amorim, filha de Jaime Amorim e Rubneuza Leandro, dirigentes do MST em Pernambuco. A pré-candidata vem do movimento estudantil, é militante do Levante Popular da Juventude e hoje compõe a diretoria de Cultura da União Nacional dos Estudantes (UNE). Sua entrada no partido marca a entrada do movimento na campanha eleitoral.

O evento preparado pelo PT ocorre às 17h, na sede do partido, em Santo Amaro, em ato com a presença de lideranças da legenda e militantes petistas. João Paulo já exerceu vários cargos eletivos pelo partido: foi o primeiro vereador eleito pela legenda no Recife, deputado estadual, deputado federal e prefeito da do Recife.

Divulgação
Rosa Amorim ao lado de militantes do MST - Divulgação

Trata-se de um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores, no início da década de 1980, e estava no PCdoB desde 2017. "Minha volta ocorre numa situação de paz e entendimento. Ao PCdoB, que será nosso aliado na grande tarefa de nos livrar do fascismo e eleger Lula presidente, deixo aqui meu agradecimento pela acolhida. Ao PT, afirmo que volto com o mesmo entusiasmo e sonhos que me moviam na construção da legenda", afirma João Paulo.

Já Rosa Amorim comenta: "Nesse processo eleitoral, disputando uma vaga na Assembleia legislativa de Pernambuco, pretendemos não só representar o MST, mas toda a diversidade do povo pernambucano. É uma candidatura do Movimento de Trabalhadoras e Trabalhadores Sem Terra, mas também das mulheres, dos estudantes, negras e negros, da comunidade LGBTQIA+, dos indígenas, quilombolas. É de todas, todos e 'todes', com o objetivo de derrubar o governo Bolsonaro e eleger Lula presidente".

A filiação do parlamentar foi aprovada por unanimidade na executiva estadual do partido, na noite desta quarta-feira (09). Ele deu entrada no processo no dia 03 de março - primeiro dia da abertura da janela partidária - e passou por todos os protocolos internos do regimento. O nome do deputado também foi aceito por unanimidade na executiva municipal.

Para concretizar seu retorno ao PT, João Paulo conversou com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em agosto do ano passado, no seu giro pelo Nordeste, que se mostrou receptivo à volta do deputado à legenda. Na ocasião, Lula afirmou que João Paulo sempre esteve presente nas lutas importantes para o povo “Para mim, o meu sentimento, é que João Paulo nunca saiu do PT”.

João Paulo ainda conversou com a presidente nacional do partido, Gleisi Hoffmann; o deputado Doriel Barros, presidente estadual do PT; e o senador Humberto Costa, além dos ex-ministros Gilberto Carvalho e José Dirceu. Vivian Farias, vice na chapa de João Paulo à Prefeitura de Olinda, também teve um papel fundamental na criação das condições do retorno de João Paulo ao PT.

“Volto ao PT com a missão de fortalecer a luta do povo, combater a fome, o desemprego e fazer nossa gente voltar a sonhar e a querer um mundo melhor. E isso só é possível com Lula presidente”, afirmou.

Comentários

Últimas notícias